Blog da Saúde

Futura mamãe e celíaca? Entenda a doença que pode complicar a gestação

» -------------------------------------------------------------------------------------------------------------

postado em 19 de junho de 2018

Descontrole da doença pode causar baixo peso, malformação do feto e até parto prematuro

Recentemente, Isis Valverde anunciou que está grávida de seu primeiro filho. Porém, um detalhe muito importante chama ainda mais atenção para a história: a atriz é celíaca.

A doença celíaca acontece quando o intestino delgado não consegue absorver e assimilar a recepção do glúten – proteína facilmente encontrada em cereais, como o trigo, a aveia e cevada. Normalmente a doença aparece ainda na infância, com sintomas como barriga estufada, gases, ânsia de vômito, diarreia, perda de peso, entre outros.

A Dra. Debora Poli, gastroenterologista do Hospital e Maternidade São Luiz Itaim, explica que o tratamento para a doença celíaca é a dieta livre de glúten. “O paciente precisa seguir as recomendações passadas pelos especialistas. No caso das gestantes, devem seguir à risca cada passo da dieta”, orienta.

Na maioria dos casos, logo que a dieta se inicia os sintomas podem desaparecer e o quadro volta a ser normal, o que também vale para as futuras mamães.

Para as gestantes que tem dificuldade de controlar a doença, os sintomas mais comuns são a desnutrição e perda de peso. Além de influenciar no crescimento e falta de vitaminas para o feto. Dentre todas as vitaminas necessárias para o desenvolvimento do feto, está o ácido fólico, especialmente importante na formação do tubo neural, que sua deficiência pode resultar má formação. Se a doença não for controlada, as chances de parto prematuro aumentam de maneira considerável.

A especialista recomenda para o controle da doença e bem-estar da mamãe e bebê que ambos frequentem consultas de rotina não só com o ginecologista e obstetra, mas com o gastroenterologista e nutricionista, que poderão auxiliar na substituição de alimentos e melhora da dieta. “Para aquelas mulheres que estão programando uma gestação é importante estar com a doença controlada. Por isso, é essencial fazer uma avaliação antes de engravidar”, orienta.

Hospital e Maternidade São Luiz unidade São Caetano completa um ano com 150 mil atendimentos

» -------------------------------------------------------------------------------------------------------------

postado em 13 de junho de 2018

Há exatamente um ano, em 13 de junho de 2017, a Rede D’Or São Luiz abria as portas de sua nova unidade no município de São Caetano do Sul, a primeira que leva a marca São Luiz para fora da capital paulista.

À época, foram investidos R$300 milhões para uma estrutura de 37 mil metros quadrados construídos em 15 andares e 294 leitos para prestar atendimento como hospital geral, maternidade, pronto atendimento adulto, pediátrico e obstétrico, UTI adulta, pediátrica e neonatal; 10 modernas salas de cirurgia com equipamentos de ponta, duas salas no centro obstétrico, centro cardiológico com hemodinâmica completa para realização de intervenções cirúrgicas e moderno centro de diagnósticos.

“O maior desafio foi começarmos toda a unidade do zero e nos tornarmos referência na Grande ABC. O sentimento, depois de um ano, é de gratidão pelo acolhimento da comunidade e dos médicos da região e por todos os colaboradores que ajudaram nesse longo processo a superar as expectativas iniciais”, comemora o dr. Carlos Lotfi, diretor do Hospital e Maternidade São Luiz, unidade São Caetano.

Recentemente, a unidade ofertou 150 novas vagas de emprego nas áreas administrativas e de enfermagem, elevando seu quadro a 750 funcionários. “O crescimento de atendimento tem sido exponencial e, junto com isso, seu quadro de colaboradores também aumenta”, explica o dr. Carlos. “O hospital opera atualmente com toda a sua gama de serviços, tem atraído um excelente corpo médico e conquistado a confiança também dos usuários, exemplo disso é o volume de atendimento do pronto-socorro acima do esperado”, explica.

No futuro, a expectativa é a de que a unidade gere ainda novas vagas de emprego para a cidade, chegando a 1,5 mil colaboradores, momento em que o hospital estará funcionando com 100% de sua capacidade.

Materno-infantil

A unidade dedica um andar interno para a maternidade, que segue o mesmo padrão e diferencial da marca São Luiz, como estrutura, decoração, hotelaria e serviços essenciais para a mamãe e bebê. “Aqui, as famílias encontram tudo que é necessário e o que há de mais moderno para cuidar da saúde da mãe e do bebê. Somos uma maternidade de alto padrão”.

Para os futuros papais e mamães que quiserem conhecer a maternidade, há a possibilidade de conhecerem as instalações, necessário apenas o agendamento da visita.

A área de neonatologia também é um dos diferenciais, referência nacional e da América Latina, principalmente em gestação de alto risco. A pediatria também segue a expertise da marca São Luiz, com um andar inteiro dedicado ao cuidado das crianças, com decoração especial, brinquedoteca e infraestrutura para que os pequenos e sua família sintam-se mais acolhidos durante o atendimento ou internação.

São Luiz São Caetano em números:
• 150 mil atendimentos de urgência e emergência no ano. São mais de 400 atendimentos/dia (pediatria e adulto)
• 10 mil internações no ano. Aproximadamente 840 internações por mês
• 294 leitos (88 leitos de hospital geral e 80 de UTI Adulto; 29 leitos de maternidade e 18 de UTI Neonatal; 29 leitos de pediatria e 15 de UTI Pediátrico
• Centro Médico com 35 salas que já completaram 21 mil consultas.
• Atualmente já são 900 médicos que compõem o corpo clínico e 750 colaboradores (administrativo, enfermagem, nutrição e áreas operacionais)
• 2000 cirurgias realizadas no ano e mais de 400 partos

O hospital está localizado na Rua Walter Figueira, s/nº – Espaço Cerâmica, próximo ao centro de São Caetano do Sul.

Diagnóstico precoce é essencial no tratamento da Cardiopatia Congênita

» -------------------------------------------------------------------------------------------------------------

postado em 12 de junho de 2018

O objetivo do dia de conscientização da cardiopatia congênita, celebrado hoje (12/6), é colaborar com a diminuição da mortalidade infantil.

Dia 12 de junho é celebrado o Dia de Conscientização da Cardiopatia Congênita. A data tem como objetivo conscientizar sobre a importância do diagnóstico precoce, da preparação dos hospitais e maternidades para atender esse paciente e sua família, além de profissionais que estejam aptos para dar todo o suporte e assistência a essas crianças.

A cardiopatia congênita é uma má formação que acomete o coração dos bebês. Dentre os defeitos congênitos, corresponde de 20% a 40% dos óbitos decorrentes de malformações. Segundo dado do Ministério da Saúde, é considerada a terceira maior causa de mortes de bebês antes de completar 30 dias e equivale a cerca de 10% das causas de mortalidade infantil.

Para a Dra. Cláudia Regina Pinheiro de Castro Grau, cardiologista pediátrica e fetal do Hospital e Maternidade São Luiz Itaim, a atenção à saúde do feto e da mãe é um dos fatores mais relevantes para a queda da mortalidade infantil. “O mais importante é orientar as famílias da importância do pré-natal bem feito, pois diagnosticar a doença durante a gestação melhora a perspectiva do tratamento das cardiopatias graves. Dependendo do caso, logo após o nascimento do bebê, a cirurgia já pode ser realizada, minimizando riscos e futuros problemas”, explica a especialista.

Além dos exames de ultrassom, toda grávida deve realizar o ecocardiograma fetal. É por meio dele que o médico especialista em cardiologia fetal observará as estruturas do coração do bebê e sua funcionalidade, verificando se estão de acordo com o esperado. “Atualmente é sugerido que o ecocardiograma fetal seja incluído na rotina do pré-natal, uma vez que 90% das más-formações cardíacas ocorrem sem nenhum fator de risco”, orienta a dra. Cláudia Regina.

Os fatores que podem levar ao desenvolvimento de uma cardiopatia congênita são diversos, que vão desde influência do ambiente, diabetes, lúpus, infecções congênitas, que alteram o desenvolvimento do coração fetal e ocorrem nas primeiras oito semanas de gravidez; uso de drogas, tabaco, medicações, exposição a raios-X durante a gravidez, até a herança familiar.

A identificação do problema auxilia o médico a fazer um planejamento do nascimento e do tratamento. Além de ajudar a família a entender melhor o que está por vir. “Em alguns casos o tratamento é intrauterino e, em outros, logo após o nascimento. Sua identificação precoce colaborará com o sucesso do procedimento, além de contribuir parra a melhora da morbidade e mortalidade infantil”, destaca. “É muito importante que as famílias escolham instituições que ofereçam uma infraestrutura completa, UTI neonatal, hemodinâmica, além de uma equipe multidisciplinar preparada e experiente”.

Rede D’Or São Luiz e Oncologia D’Or inauguram laboratório de anatomia patológica

» -------------------------------------------------------------------------------------------------------------

postado em 8 de junho de 2018

A Rede D’Or São Luiz e o Grupo Oncologia D’Or inauguram nesta quarta-feira (09) o laboratório de anatomia patológica. Liderado pelo patologista dr. Fernando Augusto Soares, professor de Patologia da Universidade de São Paulo – USP, o laboratório tem como principal função assegurar um diagnóstico preciso e rápido, oferecendo aos médicos informações essenciais que permitam avaliar com mais exatidão o prognóstico de cada doença para uma tomada de decisão clínica, uma vez que os testes preditivos dirão se o tumor analisado terá resposta ao tratamento.

Localizado próximo ao Hospital São Luiz Jabaquara, no mesmo prédio do centro médico da unidade, o laboratório deverá realizar cerca de 7.000 exames por mês, com o tempo de entrega do diagnóstico de três dias úteis. Para atender com qualidade a demanda de todas as equipes médicas do grupo Rede D’Or São Luiz e Oncologia D’Or, o laboratório contará com um time especializado e muito experiente. Serão cerca de 40 profissionais apenas em São Paulo, entre técnicos de biologia molecular, imuno-histoquímica/hibridação in situ e de morfologia tradicional; e 19 patologistas especializados diferentes tipos de câncer.

“A grandeza do projeto é que o laboratório estará associado a todos os hospitais e clínicas do grupo. Os patologistas não estarão apenas no laboratório, mas também integrados ao corpo clínico, dando o apoio que for necessário tanto no centro cirúrgico quanto nos consultórios. Esse trabalho conjunto permitirá uma troca de experiência e acompanhamento do paciente, possibilitando um menor tempo entre a coleta e a entrega do resultado”, explica o dr. Fernando Augusto Soares.

O acesso a equipamentos de última geração e tecnologia permitirão, por exemplo, consultas virtuais entre as equipes que coordenarão o serviço de patologia nos outros estados em que a Rede está presente, sendo responsáveis pela integração do serviço. Essa continuidade permitirá a padronização dos protocolos especializados por tipo de tumor e relatórios que possibilitarão excelência em todas as regionais.

O laboratório faz parte do projeto da Rede D’Or São Luiz em oncologia, que tem como objetivo ampliar o acesso da população, das regiões onde atua, aos melhores profissionais, protocolos e tratamentos oncológicos, tornando o grupo referência do setor no país. No projeto como um todo serão investidos mais de R$ 3 bilhões.

“A patologia é um importante aliado no combate ao câncer. Mais do que dar o nome ao tumor, um laudo com diagnóstico eficaz e de qualidade dá todo o suporte que o médico necessita para determinar o cuidado mais efetivo com maior chance de recuperação, ou seja, o que funcionará ou não naquele paciente. É o que chamamos hoje de medicina personalizada. Um diagnóstico errado e demorado compromete todo o tratamento do paciente. Não há uma oncologia de referência sem um laboratório de anatomia patológica de extrema qualidade”, destaca Dr. Paulo Hoff, presidente do Grupo Oncologia D’Or e professor Titular de Oncologia da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo.

O investimento em uma patologia forte será também essencial no apoio ao ensino, que também faz parte do projeto da Rede. A longo prazo irá gerar um vasto banco de dados referente ao tratamento de câncer, que auxiliará na pesquisa clínica. “Vamos integrar oncologia clínica e pesquisa dentro de um modelo de pesquisa translacional, que começa na ciência básica e termina na prática do conhecimento adquirido”, completa o especialista Soares.

Pneumologista do Hospital e Maternidade São Luiz Itaim dá 5 dicas para parar de fumar

» -------------------------------------------------------------------------------------------------------------

postado em 5 de junho de 2018

Segundo a OMS, um terço da população mundial adulta, cerca 1,2 bilhão de pessoas, são fumantes, dentre os quais 200 milhões são mulheres. O fumo pode desencadear e ampliar os riscos de pelo menos 50 tipos de doenças, tanto para os fumantes quanto para os fumantes passivos, como o câncer de pulmão, doenças cardiovasculares, impotência sexual masculina, complicações na gravidez, entre outras.

Contudo, sabendo das dificuldades que os pacientes encontram na tentativa de parar de fumar, a Dra. Andrea Sette, pneumologista do Hospital e Maternidade São Luiz Itaim reuniu algumas dicas para quem deseja largar o vício:

1 – Escolha uma data para a parada. Então, decida se essa jornada será imediata ou gradual

2 – Após alguns dias sem o cigarro, é muito comum que algumas pessoas ganhem peso, podendo chegar até dois quilos

3 – Busque atividades para substituir o cigarro que ajudem no controle da ansiedade e do estresse

4 – Beba água gelada e mantenha as mãos ocupadas. Estas são duas atitudes que o ajudarão a ficar longe do cigarro

5 – Respire fundo, relaxe os músculos, a cabeça e siga em frente.

Especialista do Hospital e Maternidade São Luiz Anália Franco alerta para importância da saúde digestiva

» -------------------------------------------------------------------------------------------------------------

postado em 29 de Maio de 2018

Número de refeições ao dia, horários de alimentação e escolha do alimento são tripé da saúde digestiva

Hoje, 29 de maio, celebra-se o Dia Mundial da Saúde Digestiva, data criada para aumentar a conscientização da população em torno da alimentação saudável, mas também elevar diagnósticos e tratamentos das doenças que envolvem o assunto.

O Dr. Ricardo Machado de Minas, gastroenterologista do Hospital e Maternidade São Luiz Anália Franco considera o tema bastante atual, pois nos dias de hoje a população têm trocado a alimentação saudável em horários adequados, por fast-foods, comidas industrializadas e falta de atenção no momento da alimentação. “Com a correria do dia-a-dia, a gente perde a noção da importância de se alimentar bem e acaba deixando de lado alguns pontos muito importantes para a saúde digestiva”, orienta.

Machado explica que para começarmos a nos conscientizar e termos uma alimentação saudável os primeiros passos devem ser as três refeições diárias: café da manhã, almoço e jantar, o que já pode ser considerado um grande passo para afastar as doenças do aparelho digestivo, a gordura no fígado e a obesidade.

É importante que as pessoas escolham alimentos mais naturais, que as escolhas passem por restaurantes por quilo, onde normalmente é mais fácil de encontrar saladas, legumes e verduras cozidas, grelhados. Além disso, nesses locais também é possível evitar comidas pesadas, gordurosas e alimentos industrializados.

Outras ações fundamentais para a manutenção da saúde digestiva são: não fumar, beber socialmente e evitar o uso indiscriminado de anti-inflamatórios. No geral, as três escolhas favorecem o surgimento de doenças ou potencializam as já existentes. O fumo pode trazer ainda outras complicações, como o surgimento do câncer, que pode ser de boca, laringe, estômago, entre outros.

O abuso do álcool agride diretamente a mucosa do estomago e intestino, além de atacar diretamente o fígado, podendo levar alguns casos a quadros de cirrose. Já o uso indiscriminado de medicamentos anti-inflamatórios aumentaram consideravelmente as hemorragias intestinais. “Com acesso simples, a população deixa de fazer uso de certos medicamentos em casos exclusivos de doença, o que acaba provocando efeitos colaterais e até surgimento de outros quadros” orienta.

“As rotinas de trabalho excessivas tem feito com que as pessoas se alimentem de maneira acelerada, em frente à televisão ou até fazendo uso de celular. Essas ações diminuem o estímulo cerebral para a alimentação e dificultam o entendimento do organismo, podendo levar a uma série de problemas no futuro”, explica.

Os sintomas que alarmam e indicam a procura por um especialista são sangramento nas fezes e no vômito, emagrecimento acelerado devido à falta de apetite, dores locais ou alterações nos hábitos funcionais do intestino (diarreia ou constipação, excesso ou falta de fezes, respectivamente), queimação que se tornou intensa e a presença de catarro nas fezes, que indica uma inflamação do intestino, que requer cuidados especiais.

No entanto, para que se evitem o surgimento dos sintomas, é necessário seguir a alimentação regrada, rotina de atividades físicas e a participação em consultas de rotina anualmente, para as pessoas que não possuem histórico de doenças. Os pacientes que possuem alguma doença devem seguir as recomendações médicas.

Hospital e Maternidade São Luiz São Caetano realizou treinamento de primeiro socorros a docentes

» -------------------------------------------------------------------------------------------------------------

postado em 22 de Maio de 2018

O Hospital e Maternidade São Luiz, unidade São Caetano, ofereceu aos pedagogos, colaboradores e diretores de escolas públicas e particulares curso de primeiro socorros com foco nos cuidados essenciais de crianças.

Ministrado pela enfermeira Daniele Neias de Andrade Amorim, o treinamento teve como objetivo capacitar os participantes a reconhecer uma situação de urgência, sua gravidade e prepará-los para prestar o atendimento inicial de primeiros socorros, que colaborará muito no atendimento médico posterior na unidade hospitalar.

Participaram do curso oito escolas de São Caetano do Sul: Colégio Ateneu, Escola Infantil Pequenino Planeta, EMEI Claudio Musumeci, Colégio Objetivo, Escola Infantil Recriare, Escola Liceu Di Thiene, Escola Villare e Colégio Eduardo Gomes.

“O espaço escolar é um ambiente propício para ocorrência de acidentes com crianças, não por negligência dos professores e colaboradores, mas por ser um dos ambientes que os pequenos, sempre cheios de energia, passam boa parte do seu dia. Conhecendo esse cenário, nossa preocupação é deixar a comunidade escolar local mais preparada para lidar melhor com as emergências que podem acontecer”, destaca a enfermeira Daniele.

Para o diretor médico dr. Pedro Fausto Pensando, o bem estar da população é o foco principal. “Fazemos parte da comunidade de São Caetano e como cidadãos nosso dever é auxiliar os educadores na segurança das crianças. Os conhecimentos práticos de primeiros socorros podem salvar vidas e evitar um agravamento do caso. Acreditamos que é nosso dever colaborar nesse aprendizado”, destaca.

As escolas e os participantes receberam no final do treinamento certificados de conclusão do curso.

O hospital realizará outras edições do treinamento. Para que a escola se inscreva é necessário entrar em contato com: relacionamento.hsc@saoluiz.com.br.

Cardiologista do Hospital São Luiz responde se paixão pelo esporte pode influenciar no coração

» -------------------------------------------------------------------------------------------------------------

postado em 18 de Maio de 2018

Cardiologista da Rede D’Or São Luiz responde se paixão pelo esporte pode influenciar no coração

Durante a Copa do Mundo do Brasil, em 2014, um homem de 69 anos morreu após um quadro de infarto, durante o jogo entre Brasil e Chile. Segundo algumas reportagens publicadas na época, ele começou a se sentir mal ainda durante a partida no Mineirão e foi encaminhado para uma unidade de saúde particular.

Agora, a pouco mais de mês para a estreia do Brasil na Copa do Mundo da Rússia, o Dr. André Feldman, coordenador da Cardio D’Or, serviço de cardiologia dos Hospitais São Luiz, unidades Anália Franco e São Caetano e do Hospital Villa-Lobos, fala sobre o quanto a paixão pelo esporte pode influenciar na saúde do coração.

“A probabilidade de acontecer um infarto apenas por conta da emoção passada durante a partida é pequena, e não chega ao ponto de recomendarmos que as pessoas deixem de assistir aos jogos. Ainda se falarmos em prevenção, essa questão está mais ligada aos cuidados do dia a dia”, orienta Feldman.

Durante as partidas, em que todos estão vidrados e torcendo a cada lance, os níveis de ansiedade aumentam e automaticamente estimulam a elevação da pressão arterial. São cerca de 1h30 a 2h de estresse absoluto, período de maior atenção, pois o organismo libera uma série de hormônios, como adrenalina, noradrenalina e cortisol, responsáveis pelo aumento da frequência cardíaca e “aperto” dos vasos sanguíneos, conjunto de fatores responsáveis pela elevação da pressão.

O momento em que ocorre o aumento da pressão, o coração, cérebros e outros músculos recebem uma quantidade maior de sangue, elevando os esforços de cada um e há o aumento das chances de ocorrência de eventos cardíacos, como o infarto, por exemplo. “Em um paciente que já tenha histórico de alguma doença do coração, esses esforços podem funcionar como um fator de risco. Se ainda sim ele for hipertenso, as chances podem crescer”, explica o cardiologista.

Além da tensão que envolve assistir as partidas, existe o clima gerado pela Copa do Mundo que facilita as pessoas a confraternizarem com mais ingestão de bebida alcoólica e tabagismo, facilitadores para o aumento da pressão arterial.

Fora dos eventos cardíacos, o enrijecimento da musculatura, causado pela tensão das partidas, pode levar a dores no pescoço, ombros e até torcicolo. Como medida preventiva, ter um lugar adequado para uma melhor postura, pode favorecer e evitar o aparecimento das dores.

O golaço de toda essa questão está no campo da prevenção. “Manter um estilo de vida regrado, com alimentação saudável e prática de atividade física faz toda a diferença”, finaliza.

Especialista do Hospital São Luiz indica medidas importantes para evitar o aparecimento das varizes

» -------------------------------------------------------------------------------------------------------------

postado em 16 de Maio de 2018

Mulheres devem ter atenção especial para prevenir o problema

Mais comum entre as mulheres, as varizes afetam quase 40% da população brasileira. Elas são caracterizadas pela dilatação, tortuosidade e alongamento de vasos sanguíneos venosos, prejudicando o retorno do sangue das extremidades do corpo para o coração, devido à perda da elasticidade e dilatação.

O principal fator que determina o surgimento das varizes é a hereditariedade, mas a incidência do problema varia de pessoa para pessoa. “O que podemos dizer é que normalmente as varizes costumam a aparecer após a puberdade, quando os homens crescem em estatura e as mulheres recebem uma carga maior de hormônio”, diz o Dr. Alexandre Fioranelli, cirurgião vascular do Hospital e Maternidade São Luiz Itaim.

“Também são comuns na gravidez, em virtude do aumento do útero, o que dificulta o retorno do sangue venoso”, complementa o especialista. Além disso, segundo ele, durante a menstruação os sintomas tendem a piorar. Os primeiros sinais são dor, sensação de peso, queimação, cansaço, inchaço ao redor do tornozelo e cãibras.

Para que as varizes não surjam, diversos fatores preventivos devem ser levados em consideração, em qualquer faixa etária. O cirurgião vascular lista alguns deles:

– Ter uma alimentação saudável e balanceada para controle do excesso de peso;
– Evitar ficar na mesma posição por períodos longos e procurar andar, a cada uma ou duas horas, para movimentar os músculos da panturrilha;
– Realizar exercícios com os pés (como se estivesse apertando e soltando um pedal) para auxiliar na drenagem venosa;
– Fazer exercícios aeróbicos, como natação, caminhada, corrida e bicicleta tem ação preventiva, pois melhoram a função da panturrilha;
– Não utilizar roupas excessivamente apertadas como calças jeans, cintos, meias ou botas que pressionem as panturrilhas;
– Manter as pernas elevadas por um período de 20 a 30 minutos diariamente;
– Evitar o tabagismo, pois o cigarro é extremamente prejudicial e, associado com outros hábitos, pode ocasionar as varizes.

Para as mulheres, o especialista ainda recomenda evitar o uso de salto alto por um período prolongado. Por outro lado, o pé reto também provoca um esforço maior para bombear o retorno venoso. O ideal, portanto, é a utilização de um salto baixo, de dois centímetros, para que os músculos da panturrilha fiquem em posição confortável.

No Dia das Mães, diretora da Maternidade São Luiz fala sobre a importância de planejar o parto

» -------------------------------------------------------------------------------------------------------------

postado em 11 de Maio de 2018

Especialista lista dúvidas que as mamães devem tirar durante as visitas monitoradas às maternidades

“Ser mãe foi um dos principais e mais difíceis papéis que desempenhei, porém um dos mais gratificantes da minha vida”. É assim que Márcia Maria da Costa, diretora da Maternidade São Luiz Itaim, responde à pergunta: “ser mãe é?”, em homenagem ao Dia das Mães, comemorado no próximo domingo, 13 de maio.

Preparar-se para esse momento pode ser um grande desafio para as futuras mães e, dentre diversas dúvidas e decisões que devem ser tomadas, a Dra. Márcia destacou alguns pontos importantes que devem ser levados em consideração:

– Quando começar esse planejamento?
Com o resultado do exame de sangue que comprova a gravidez em mãos, é hora de começar o planejamento. Leia, pesquise e reúna todas as dúvidas para a sua primeira consulta com seu médico.

– Escolha do médico
A primeira e uma das mais importantes decisões é a escolha do profissional que a acompanhará durante toda a gestação. É fundamental saber se atende às suas necessidades, como o plano de parto, disponibilidade, se os atendimentos serão contemplados pelo plano de saúde, entre outras questões. Caso a futura mamãe ainda não tenha o médico, buscar boas referências sobre o especialista com amigos ou pessoas próximas é essencial. “É importante eliminar todas as dúvidas, expor suas preferências e expectativas”, observa.

– Plano de parto
O plano de parto é um documento produzido para registrar todas as vontades da mãe para o nascimento de seu bebê. Nele, a gestante escreve como prefere passar pelas diversas fases do trabalho de parto, quais procedimentos médicos ela aceita ou não participar, entre outras questões.

– Escolha da maternidade
A escolha da maternidade deve levar em conta uma série de fatores, como estrutura física com ambientação necessária para o parto vaginal, equipamentos de alta tecnologia, além de equipe multidisciplinar altamente especializada que tenha cultura e engajamento no atendimento humanizado.

– Tecnologia
Da internação ao pós-parto, é importante que a maternidade disponha do que há de mais moderno em cuidados para a saúde da mãe e do bebê. No caso da Maternidade Itaim, há o Centro Especializado em Medicina Fetal (Cemefe), que é um serviço de atendimento às gestantes durante o pré-natal onde as futuras mamães têm à sua disposição uma série de exames de rastreamento e diagnóstico com uma equipe altamente especializada e tecnologia de ponta, que proporcionam o máximo de segurança e apoio para a gestante e especialista.

– Infraestrutura
É importante que a maternidade escolhida tenha unidades de terapia intensiva para mamãe e bebê. A unidade Itaim conta com a Unidade Semi-intensiva para a gestante, onde todo o atendimento de pós-parto é realizado por obstetras e outros especialistas preparados para atender a qualquer tipo de intercorrência. Além de possuir unidade Neonatal com especialistas que aliam à alta tecnologia disponível a um trabalho de qualidade e dedicado ao acompanhamento do desenvolvimento quase que em tempo real dos bebês.

– Cultura da maternidade
Além dos recursos necessários para o parto natural, é importante que a maternidade possua uma cultura de parto mais voltada para essas questões. A gestante precisa saber se a maternidade que ela vai escolher possui recursos para que ela realize qualquer tipo de parto, sempre de uma maneira humanizada e respeitosa. A maternidade deve estar preparada para atendê-los com qualidade, excelência, garantindo principalmente a segurança da paciente e do bebê.
A Maternidade São Luiz Itaim foi uma das primeiras a fazer parte do projeto Parto Adequado, que foi criado para identificar modelos inovadores e viáveis que valorizem o parto normal e reduzam o percentual de cesarianas desnecessárias. A iniciativa visa ainda oferecer às mulheres e aos bebês o cuidado correto ao longo da gestação, durante todo o trabalho de parto e pós-parto, considerando a estrutura e o preparo da equipe multiprofissional.

– Ambientação para parto vaginal – Salas delivery
É importante que além de profissionais especializados, cultura e engajamento para a realização de partos humanizados, a maternidade possua salas equipadas para parto natural. A Maternidade São Luiz possui salas exclusivas para tornar o ambiente agradável e aconchegante com recursos de terapia de luzes, cores, aromas, música e massagem, inclusive hidroterapia, que permite a realização de parto na água, sempre realizado por uma equipe habilitada. O espaço é adequado para caminhar e se exercitar durante o trabalho de parto. Tudo ao lado de um centro obstétrico totalmente equipado dando mais segurança à mãe e ao bebê, caso qualquer emergência ocorra.

– Curso preparatório para pais
Como tudo que é novidade na vida, a maternidade também gera uma série de questionamentos. Para auxiliar, há cursos oferecidos pelas maternidades, que contemplam informações importantes do desenvolvimento do bebê e mudanças que acontecerão neste período. Além de dicas referente aos cuidados do dia a dia.
Desde 1987, a Maternidade São Luiz oferece o Curso Preparatório para Pais com aulas que abordam questões como lidar com as mudanças físicas e psicológicas que ocorrem na gestação e pós-parto, a dar banho no bebê, trocar fraldas, fazer o curativo do umbigo e técnicas de aleitamento desde o primeiro dia até o retorno ao trabalho, entre outras coisas.

Página 1 de 11212345...102030...Última »
Produzido por Connexion Net

(c) 2010 - Blog da Saúde - Todos os direitos reservados