Blog da Saúde

Maio Roxo ressalta a importância da conscientização sobre as Doenças Inflamatórias Intestinais

» -------------------------------------------------------------------------------------------------------------

postado em 19 de maio de 2017

Especialista do Hospital São Luiz explica que enfermidades podem ser incapacitantes

19 de março é a data dedicada mundialmente à conscientização sobre as Doenças Inflamatórias Intestinais, mas a campanha mundial Maio Roxo lembra esta causa durante todo o mês. Dentre as enfermidades que fazem parte deste grupo, as principais são a Doença de Crohn e a Retocolite Ulcerativa.

As duas têm muitas semelhanças, mas a principal diferença entre elas é que a Doença de Crohn afeta o intestino como um todo e pode se manifestar em todos os segmentos do sistema digestivo, da boca até o ânus, além de causar lesões mais graves e até deformidades intestinais. Já a Retocolite Ulcerativa atinge a mucosa intestinal, no intestino grosso no reto.

“São doenças que ainda hoje têm a causa um pouco controversa. O mais aceito é que sejam autoimunes, uma tendência familiar ou da própria pessoa para que o organismo comece a atacar o intestino”, explica o Dr. Ricardo Minas, médico clínico e cirurgião do aparelho digestivo do Hospital e Maternidade São Luiz Anália Franco.

A importância do Maio Roxo se dá principalmente por dois motivos: a incidência das doenças aumentou nos últimos anos e pelas complicações serem muito graves. “Há 10 ou 20 anos eram patologias mais raras e a população pouco sabia que existiam”, esclarece. Além disso, são muito impactantes na vida dos pacientes e, às vezes, até incapacitantes na vida pessoal e profissional.

Em especial na Doença de Crohn, as cirurgias não são curativas e servem para tratar as lesões. A longo prazo, podem ser agressivas, pois os pacientes que precisam operar muitas vezes podem ter complicações como diarreia crônica e problema na absorção de nutrientes. O especialista alerta que quanto mais cedo o diagnóstico, mais eficaz será o tratamento, com sequelas menores.

Ainda difíceis de serem diagnosticadas, porque os sinais iniciais podem ser inespecíficos, as doenças inflamatórias intestinais apresentam sintomas como dor abdominal prolongada por mais de um mês, diarreia, sangramento ou catarro pelas fezes e emagrecimento. Nas crianças, o problema é tão grave que prejudicam o ganho de peso e estatura.

Não existe uma forma específica de prevenção e, por isso, é importante ficar atento ao que está acontecendo em seu organismo. O especialista também ressalta que os portadores dessas doenças são mais propensos a ter câncer de intestino do que a população em geral. Não se sabe a causa do aumento da incidência, mas, segundo o médico, a teoria mais aceita é a falta de contato com antígenos e substâncias que podem levar nosso organismo a combatê-las.

“A evolução da doença é diferente de pessoa para pessoa. Pode ser que o paciente tenha só uma crise ou pode ser de repetição. Por se tratar de uma doença crônica e de evolução incerta, é difícil falar em cura. O objetivo do tratamento, tanto clínico quanto cirúrgico, é manter a enfermidade em remissão, como se estivesse adormecida”, afirma o Dr. Ricardo.

Be Sociable, Share!

Deixe seu comentário

(*)campos obrigatórios.

Produzido por Connexion Net

(c) 2010 - Blog da Saúde - Todos os direitos reservados