Blog da Saúde

Hepatite: informação é o melhor remédio

» -------------------------------------------------------------------------------------------------------------

postado em 27 de julho de 2011

Amanhã, 28 de julho, é celebrado o Dia Mundial de luta contra as Hepatites virais. Conhecida por agir de forma silenciosa no organismo (em especial no fígado), a hepatite só se manifesta quando o quadro clínico se mostra avançado. Por causa desse fator, ela atinge cerca de quatro milhões de brasileiros por ano, mas poucos são os que tomam conhecimento a doença.

Apesar dos avanços médicos que resultaram no desenvolvimento de vacinas e/ou remédios que auxiliam no processo de cura, o infectologista do Hospital São Luiz, Orlando Jorge Gomes da Conceição, admite que a informação ainda se mostra a melhor forma para a prevenção, diagnóstico e tratamento da hepatite.

Mesmo apresentando diferentes efeitos no organismo – dependendo do tipo de hepatite -, alguns sintomas são comuns entre elas: pele amarelada (também conhecida como icterícia), febre, fraqueza, enjoos, urina escura e fezes claras.

A hepatite é classificada em cinco grupos diferentes, que possuem formas de contágio e efeitos colaterais distintos:

Hepatite A – Curável em 99% dos casos, ele foi erradicada da maioria das cidades devido a criação de vacinas e melhorias de infraestrutura. A transmissão é feita através da ingestão de água ou alimentos contaminados e o tratamento é realizado a base de remédios.

Hepatite B – As formas de contágio se assemelham do vírus HIV: contato sexual, transfusão de sangue e compartilhamento de agulhas e seringas. Também possui vacina, porém dispensa mais cuidados, pois aproximadamente 10% dos casos de hepatite B podem evoluir e se tornar crônicos.

Hepatite C – É o tipo mais grave da doença, é transmitida através do contato sanguíneo e não existe vacina para combatê-la. Em 80% dos casos alcança a forma crônica, necessitando na maioria dos casos a realização de um transplante de fígado.

Hepatite D – Apenas quem já possui hepatite B desenvolve essa forma da doença, que não raro evolui para uma forma mais aguda, necessitando assim de um transplante.

Hepatite E – Semelhante a hepatite A, também é contraída por meio do consumo de alimentos e água contaminados. É o tipo menos crônico e raramente é transmitida de uma pessoa para outra.

O não compartilhamento de seringas, agulhas ou alicate de unhas, aliado ao uso de preservativo e a ingestão de água filtrada e alimentos bem lavados diminui consideravelmente a chance de se adquirir a doença.

As vantagens do ciclismo para a saúde

» -------------------------------------------------------------------------------------------------------------

postado em 25 de julho de 2011

Aprender a andar de bicicleta é uma das maiores conquistas que podemos ter quando crianças. Muitas vezes essa é a nossa primeira manifestação de independência e o primeiro resultado de algo que treinamos e trabalhamos duro para conseguir.

Infelizmente, a rotina empregada durante a vida adulta muitas vezes nos leva a abandonar os passeios com a magrela. Mas, para quem deseja estar em forma e não fica confortável em academias, ela pode ser uma alternativa bastante eficaz.

“Como toda prática esportiva, o ciclismo traz grandes benefícios ao organismo e ao coração de uma forma global e integrada”, afirma o cardiologista do Hospital e Maternidade São Luiz, em São Paulo, João Vicente da Silveira, em entrevista publicada no blog Bolsa de Mulher. O médico ainda ressalta a importância do uso de trajes adequados e equipamentos de segurança a fim de melhorar a prática do ciclismo e proporcionar um passeio sem sustos.

Silveira também aponta algumas vantagens que a bicicleta traz para a saúde:

– Ajuda a combater o stress e a depressão: durante a pedalada, as contrações cardíacas ficam mais apuradas e o sangue alcança o cérebro com mais rapidez, diminuindo assim crises de ansiedade, angústia e depressão.

– Facilita a respiração: o ritmo empregado no ciclismo faz com que mais ar entre nos pulmões e tecidos, aumentando a eficácia do aparelho respiratório (o que causa o famoso “fôlego de atleta”).

– Boa forma: por ser uma atividade que gera movimentos repetitivos, o ciclismo ajuda a tonificar os músculos das pernas e ajuda no desempenho aeróbico e cardiovascular.

– Perda de peso: aliada a uma dieta saudável, a adoção de bicicletas para o esporte auxilia no emagrecimento, controle de peso e redução da gordura corporal.

– Melhora do sono e humor: como toda a atividade física, pedalar estimula a liberação de endorfina (hormônio responsável pela sensação de bem-estar) e serotonina (que libera a sensação de prazer), o que faz com que o indivíduo fique mais relaxado e possa ter um sono melhor. Sem contar o fato de que, pedalando ao ar livre, entramos em contato com paisagens e cenários que incentivam a prática do esporte.

Para ler a matéria completa e conferir mais benefícios proporcionados pelo ciclismo, clique aqui

Diabetes na sala de aula

» -------------------------------------------------------------------------------------------------------------

postado em 22 de julho de 2011

O diabetes é uma doença que exige atenção e, na maioria das vezes, uma rotina diária voltada para seu tratamento. Esse cuidado aumenta quando o paciente em questão é uma criança, que precisa se adaptar desde cedo a esse novo estilo de vida e por vezes encontra na escola o seu primeiro grande desafio.

Segundo o Dr. Luís Calliari, responsável pelo Serviço de Endocrinologia Pediátrica do Hospital São Luiz, muitas vezes o maior problema enfrentado pelos pequenos é a falta de informação do corpo escolar a respeito do que é diabetes e seus sintomas: “Além disto, há a dificuldade de obtenção de alimentação adequada e da realização de procedimentos necessários à rotina do aluno com diabetes, como aplicação de insulina e medida de glicemia capilar”, diz o médico, em entrevista para o Portal Diabetes.

Relação com os colegas: segundo Calliari, a maioria das crianças se sente confortável em dividir com o resto da classe a sua rotina médica. Mas deve-se respeitar o seu desejo caso ela prefira adotar uma postura mais reservada sobre o assunto. Na maioria dos casos os pais não precisam temer alguma reação hostil: a diabetes é aceita pela maioria dos alunos e dificilmente o paciente sofre algum tipo de preconceito.

Informação: é importante fornecer aos responsáveis da escola todas as orientações básicas a respeito da diabetes, como aplicações, monitorização e alimentação: “a hipoglicemia deve ser detalhadamente orientada – quais os sintomas, como confirmar, como tratar”, completa.

Exercícios: Calliari orienta que a prática de atividade física dever evitada quando a glicemia estiver muito alta (superior a 250 mg/dl) ou muito baixa (inferior a 60 mg/dl). O médico também recomenda que a criança coma algum carboidrato antes da prática esportiva e que sejam evitadas atividades muito prolongadas

Alimentação: “Não é preciso que o aluno com diabetes leve o lanche preparado em sua própria casa, desde que a escola forneça um lanche balanceado, saudável e com opções sem carboidratos de absorção rápida, ou que a cantina tenha estes alimentos no seu cardápio,” explica o endocrinologista.

Também é importante que a criança leve diariamente à escola um “kit diabetes”  contendo aplicadores de insulina e alimentos de fácil absorção para o caso de uma crise de hipoglicemia.

Para ler a matéria completa, clique aqui.

Quando se preocupar com o refluxo do bebê

» -------------------------------------------------------------------------------------------------------------

postado em 20 de julho de 2011

Toda a mãe, ao menos uma vez na vida, já passou por essa cena: alguns instantes após a mamada, a criança jogada para fora todo o leite por ela ingerido. O refluxo gastroesofágico ou apenas refluxo, como é mais conhecido, é algo comum em bebês e que normalmente não incomoda os pequenos. Mas os pais precisam ficar atentos, pois em alguns casos ele pode virar uma doença, causada por uma má-formação no aparelho digestivo ou por maus hábitos alimentares.

“Se a criança ganha peso, não chora nem fica irritada, é porque não compromete o estado geral e emocional”, explica Cylmara Gargalak Aziz Silveira, gastroenterologista infantil do Hospital São Luiz, em matéria para a revista Crescer, republicada em blog. Segundo a médica, os sinais de que o refluxo incomoda a criança são dor, irritabilidade, recusa de alimentos, regurgitação frequente, vômitos e um ganho de peso baixo. Caso a doença não seja tratada, ela pode causar irritação no esôfago, anemia e complicações respiratórias.

A fim de evitar o refluxo, a gastroenterologista aconselha deixar o bebê na posição vertical no momento da amamentação, controlando a quantidade de leite consumida pela criança, para que ela não acabe “exagerando na dose” “Quando terminar de amamentar e de fazê-lo arrotar, mantenha-o de 20 a 30 minutos em pé, para que o leite desça, se acomode no estômago e facilite a digestão”, explica Cylmara.

Caso os sinais apontem para o aparecimento da doença, a criança deve ser levada ao pediatra, que poderá indicardesde o uso de medicamentos e acessórios (como cintos e paraquedas) até a necessidade de uma cirurgia

Para ler o texto completo, clique aqui

Como ajudar as crianças a falar corretamente

» -------------------------------------------------------------------------------------------------------------

postado em 18 de julho de 2011

Uma das marcas registradas nos primeiros anos de infância é o modo como as crianças se comunicam quando estão aprendendo a pronunciar as palavras. As trocas de letras, comuns nessa fase, sempre rendem boas risadas por quem presencia o desenvolvimento fonoaudiológico dos pequenos.

Porém, os pais precisam ficar atentos para não estimular esse modo de falar quando a criança já estiver um pouco mais velha (com três ou quatro anos), pois ela já pode se expressar  corretamente. “A fala infantilizada diminui muito nessa fase e os pais devem aproveitar para ensinar à criança o jeito certo de falar”, avisa a pediatra Dra. Gelsomina Bosco, do Hospital São Luiz, em São Paulo, numa matéria reproduzida no blog Fonoaudiologia.

A pediatra explica que existem outros fatores que podem ser responsáveis pela criança continuar adotando a fala infantilizada ou até mesmo por uma regressão no modo como ela se comunica, como uma mudança na sua rotina: troca de escola, nascimento de uma(um) irmã(o), etc.

Segundo Gelsomina, quando essa situação permanece a criança pode não estar recebendo o estímulo adequado para evoluir sua fala ou não foi corrigida pelos adultos, que achavam “bonito” a sua maneira de falar.

A médica ressalta que os pais não devem adotar uma postura agressiva quando a criança fala errado, mas sim corrigi-la, dizendo para a criança a pronúncia certa da palavra. Também é indicada a leitura de livros e fitas de vídeo, assim como o contato com outras crianças

Para ler o texto completo, clique aqui.

Hospital São Luiz patrocina judocas

» -------------------------------------------------------------------------------------------------------------

postado em 15 de julho de 2011

A adoção de atividades físicas é constantemente recomendada por médicos como uma forma de manter corpo e mentes saudáveis e, consequentemente, garantir uma velhice tranquila.

Quando os exercícios físicos são combinados com a prática de algum esporte os benefícios só aumentam, pois além exercitar o corpo acaba-se por melhorar os conceitos de disciplina e autoconhecimento.

Com o objetivo de promover a prática esportiva, o Hospital São Luiz patrocina dois atletas que disputarão neste domingo (dia 17) a 3ª Copa Revelação de Judô, que acontecerá na sede do Esporte Clube Pinheiros, em São Paulo (SP). Ambos juvenis, Isabella Parah lutará na categoria 44kg, enquanto André Bianchessi estará presente entre os judocas da categoria 55kg.

O torneio ajuda a revelar novos talentos para esta modalidade (uma das que mais medalhas trouxe para o Brasil) visando aos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro em 2016, além de desenvolver e incentivar a prática do judô entre jovens e adolescentes.

A prova é uma iniciativa da Associação Branco Zanol de Judô com o apoio da Confederação Brasileira de Judô (CBJ), Federação Paulista de Judô (FPJ), da Secretaria de Esportes do município de São Paulo (SEME) e do campeão olímpico Aurélio Miguel.

Cuidados para proteger as crianças no inverno

» -------------------------------------------------------------------------------------------------------------

postado em 13 de julho de 2011

A estação mais fria do ano faz com que as pessoas passem mais tempo em lugares  fechados, aumentando a incidência de doenças contraídas pelo ar, principalmente no caso das crianças. “É a época que chamamos de período sazonal de favorecimento para infecções do sistema respiratório”, alerta a pediatra Eliane Enriques Alfani, do Hospital São Luiz, em uma matéria publicada no blog Toda Moderna.

A especialista alerta para as situações em que os pequenos estão mais expostos ao contágio e dá dicas que ajudam a diminuir a chance delas ficarem de cama:

Atenção com a escola: a maioria dos casos de gripe acontece na escola, lugar onde os pequenos passam a maior parte do dia. “O contato com apenas um indivíduo adoentado é a principal causa do contágio de gripes”, diz a pediatra.

Mofo: é no inverno que fazemos uma revolução no nosso guarda-roupa e “desencavamos” casacos e mantas que não eram usados há um bom tempo e que na maioria das vezes acumulam poeira e ácaro. A dica é que, ao menor sinal de tempo frio, separar todas as peças que serão usadas nessa estação e lavá-las, removendo toda a sujeira acumulada.

Alimentação: refeições ricas e balanceadas, que contenham proteínas, carnes, ovos, queijos, legumes e verduras devem ser presença obrigatória nessa época do ano, pois ajudam a fortalecer o sistema imunológico das crianças. “É importante buscar os nutrientes em alimentos naturais e variados para não ficar só nas guloseimas industrializadas que, além de pouco nutritivas, também são calóricas”, acrescenta a médica.

Vacinação: a partir dos seis anos, as crianças já podem receber a vacina contra o vírus influenza, o maior causador da gripe, o que é bastante recomendado pelos médicos: segundo estudos realizados pela Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), os casos de complicações respiratórias, como pneumonia, aumentaram entre crianças de seis meses a 5 anos de idade.

Para ler a matéria completa, clique aqui

Conheça a serotonina e suas funções no organismo

» -------------------------------------------------------------------------------------------------------------

postado em 11 de julho de 2011

O cérebro humano fascina os cientistas devido a sua complexibilidade: composto por diversos neurotransmissores, eles são responsáveis por permitir aos neurônios e outras células do corpo sinais importantes para que possamos cumprir as funções vitais.

Dentre os diversos neurotransmissores que existem, vale destacar a serotonina, que é produzida no tronco encefálico (região próxima a nuca) e desempenha um papel fundamental em muitas partes do organismo.

A neurologista do São Luiz, Dra Rosa Hasan, explicou em uma matéria ao site Minha Vida que ainda não foram descobertas todas as áreas de atuação dessa substância, mas que alguns estudos já apontam os lugares aonde esse neurotransmissor age, como por exemplo:

Enxaqueca: com o avanço da tecnologia médica descobriu-se que a serotonina exerce papel fundamental no controle da enxaqueca, pois ela é uma substância que regula as vias sensoriais do corpo (incluindo a dolorosa) e quando há redução dessa substância no corpo os estímulos também caem, o que leva a diminuição da dor.

Regulação do sono: a serotonina é responsável pelo estado de vigilância do nosso cérebro, criando em nosso consciente a sensação de alerta. Para conseguir um sono adequado, ela precisa estar regulada na primeira fase do sono, chamada de “sono lento”, e totalmente inibida no “sono REM”, quando adormecemos total e completamente.

Saciedade: com níveis normais de serotonina no corpo, o indivíduo se alimenta normalmente. Porém, com a diminuição do neurotransmissor, a tendência é que a pessoa passe a consumir mais doces e massas para se sentir satisfeita.

Depressão e outras alterações de humor: foi criada a crença de que a depressão é causada em diversas ocasiões por falta de serotonina no nosso organismo mas, na verdade, essa doença se manifesta quando a transmissão da substância não ocorre de maneira adequada. O mesmo valendo para outras alterações provenientes de humor, como ansiedade e irritabilidade.

Para ler a matéria completa, clique aqui

Dia Mundial da Saúde Ocular

» -------------------------------------------------------------------------------------------------------------

postado em 8 de julho de 2011

No domingo, dia 10 de julho, será comemorado o dia Mundial da Saúde Ocular, criado para lembrar o quão importante é o cuidado com os olhos, sempre tão expostos as agressões climáticas, como ventanias e poeira, e as urbanas – luzes da televisão, monitor do computador.

Proteger os olhos é importante e pode fazer toda a diferença:de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), oito a cada 10 casos de perda de visão poderiam ser evitados.

Segundo o oftalmologista do Hospital São Luiz, Edimilson Mariano, o ideal é que os exames preventivos sejam feitos pelo menos ma vez ao ano, desde a fase escolar até a terceira idade, pois eles identificam miopia, hipermetropia e astigmatismo, as alterações de visão mais comuns e que também podem causar a perda de visão se não forem tratadas a tempo.

Outras doenças, como catarata, glaucoma, ambliopia e degeneração macular de retina podem ser diagnosticadas com exames complementares, como o do fundo de olho (que permite mapear a retina), a tonometria (que mede a pressão ocular) e a biomicroscopia, (que visualiza a parte anterior dos olhos), realizados quando se percebe que algo está errado.

Apesar dos nomes soarem complicados, os avanços tecnológicos permitem que as cirurgias sejam realizadas com muita tranqüilidade, mesmo em casos mais complexos, desde que seja feito o diagnóstico precoce.

Um exemplo do progresso da cirurgia oftalmológica são os casos de catarata, a primeira causa de cegueira no Brasil: Na cirurgia de catarata é realizada uma microincisão. Há alguns anos eram necessários 10 mm de incisão e, hoje, precisamos apenas de 1,8 mm.”, explica Mariano.

Então aproveite a data e trate de cuidar da sua visão!

Aproveite o inverno sem descuidar da saúde

» -------------------------------------------------------------------------------------------------------------

postado em 6 de julho de 2011

O inverno, que dura entre os meses de junho e agosto, é conhecido como a estação do ócio: ficamos com menos vontade de fazer exercício, a fome aumenta (pois o corpo precisa de mais energia) e a tudo o que a maioria das pessoas deseja é ficar na sob as cobertas durante todo o dia.

E é por causa dessa atitude descuidada que muitas doenças acabam se agravando durante essa época, como a rinite e a sinute. Além disso, com a diminuição da temperatura passamos a usar mais água quente, o que prejudica a pele e os cabelos.

Para aproveitar o clima do inverno e manter o corpo saudável, seguem algumas dicas elaboradas pelos especialistas do Hospital São Luiz:

Para proteger os cabelos do clima frio recomenda-se diminuir o tempo embaixo do chuveiro, por mais tentador que pareça estender os minutos de banho. Já para a pele, a dermatologista Dra. Samar Mohamad El Harati explica que é importante aumentar a quantidade de aplicação de cremes e não se esquecer do filtro solar.

A adoção de chás e sopas durante essa época do ano ajuda a evitar os quilos extras, quase sempre inevitáveis durante a estação. Os chás mais indicados são os de ervas e fruta secas e as sopas que devem ser feitas a base de legumes e caldos pois, segundo a nutricionista Maria Claudia Santos, os pratos a feitos com creme e queijos possuem um alto valor calórico.

E para quem sofre de doenças respiratórias a dica é continuar mantendo a higiene, lavando sempre as mãos e higienizando os alimentos, a fim de preservar a saúde ou, caso a doença já tenha se manifestado, minimizar o seu efeito. Para os que gostam de se exercitar, a clínica geral, Dra. Andrea Aparecida Sette, recomenda hidratação constante e o uso de roupas adequadas durante o inverno.

Página 107 de 113« Primeira...102030...105106107108109...Última »
Produzido por Connexion Net

(c) 2010 - Blog da Saúde - Todos os direitos reservados