Blog da Saúde

Tentando emagrecer para o Carnaval? Dietas restritivas podem contribuir para ganho de peso

» -------------------------------------------------------------------------------------------------------------

postado em 8 de Fevereiro de 2018

Nutrólogo do São Luiz reúne dicas para uma folia mais saudável

Faltam apenas três dias para o Carnaval. São quatro dias de folia. Mas para sua festa não terminar antes do tempo, nada melhor do que manter uma alimentação balanceada e muita hidratação, não só durante este período, mas em todo o restante do ano.

Em tempos que antecedem grandes festas, algumas pessoas apostam em dietas da moda, longos períodos de jejum, que restringem certos alimentos. Contudo, especialistas orientam que a má alimentação e a falta de hidratação podem trazer problemas para a saúde.

As dietas restritivas são aquelas que reduzem a quantidade de calorias ingeridas, variando de 600 a 800 calorias ao dia. Essas restrições geralmente são feitas às custas da remoção de um ou outro nutriente da dieta diária, como a exclusão dos carboidratos.

Uma pessoa saudável gasta em torno de 22 a 35 calorias por quilo ao dia para realizar suas atividades normais, sem contar os 15% a mais para as questões de sobrevivência. Considerando, por exemplo, um paciente com 80 quilos, sem contar atividade física, tem um gasto médio de duas mil calorias ao dia.

Agora, imagine que esse paciente escolha fazer uma dieta que restrinja a quantidade de calorias ingeridas durante o seu dia. “Sem ser avisado, seu corpo continua gastando energia, o que de fato proporcionará uma perda de peso inicial considerável. Contudo, ao perceber esse menor aporte de calorias, o corpo começa a se defender e busca um modo mais econômico para viver. Por esse motivo perde-se de fato uma quantidade de peso maior, depois isso diminui gradativamente, porque o nosso corpo se adapta a nova rotina restritiva”, explica o Dr. Celso Cukier, nutrólogo do Hospital São Luiz Morumbi.

Outro ponto importante contra as dietas restritivas está relacionado às células de gordura, pois, em um primeiro momento, elas apenas diminuem de tamanho e não são eliminadas. Após duas ou três semanas, o paciente volta a comer normal e as células, então, se enchem rapidamente de gordura. Ao atingirem seu tamanho máximo, automaticamente fabricam nova célula de gordura, o que pode terminar em um peso maior do que antes de iniciar a dieta.

O Dr. Celso explica que estudos das dietas restritivas concluem que todas funcionam para perda de peso, mas são prejudiciais à saúde. “É preciso ponderar que são, na sua grande maioria, deficientes em uma série de nutrientes, vitaminas e minerais essenciais para o bom funcionamento do nosso corpo, principalmente se adotadas por uso prolongado”, orienta.

Para evitar a interrupção da folia, o especialista reuniu algumas dicas importantes:

– A principal dica é não exagerar nem para mais e nem para menos, mas pensar em estar bem para os próximos carnavais.

– O álcool é muito calórico e se deposita também como gordura, além de desidratar. Então, sempre que ingerir álcool, procure se hidratar com água na mesma ou em maiores proporções.

– Muita atenção à origem dos alimentos, armazenagem e transporte.

– Durante a folia, exagere nas frutas, elas também ajudam a manter o corpo saudável.

Curtir o Carnaval também pede atenção à saúde

» -------------------------------------------------------------------------------------------------------------

postado em 24 de Fevereiro de 2017

Cuidados simples, como o uso de preservativo nas relações sexuais, hidratação e alimentação garantem uma folia mais segura

A empolgação que embala a maior festa popular do país esconde vilões como os vírus da hepatite A, B, ou C, problemas de desidratação e até mesmo distúrbios intestinais, provocados pela má alimentação.

Para evitar o contato com a hepatite, doença silenciosa que ataca o organismo podendo causar danos irreversíveis ao fígado, principalmente durante o carnaval, é importante seguir algumas recomendações médicas, começando pela vacinação de combate à hepatite B, disponível gratuitamente na rede pública de saúde.

Para o Dr. Mauricio Serpa, clínico geral do Hospital e Maternidade São Luiz Anália Franco, o uso de preservativo é fundamental para evitar a contaminação com o vírus do tipo B, que na maioria dos casos é transmitido em relações sexuais. “Sexo seguro deve ser feito com camisinha, seja durante o carnaval, ou ao longo do ano. O contágio com a hepatite B pode ocorrer em uma única relação sem proteção”, enfatiza.

Também é importante ficar atento na hora das refeições. Alimentos e até mesmo água comercializados nas ruas, ou em ambientes sem condições básicas de higiene, podem estar contaminados e servir de vetores para a hepatite A. O ideal é evitar, inclusive, dividir copos, latinhas de cerveja e talheres, pois este tipo de vírus é transmitido, também, pelo contato pessoal.

“A troca de saliva pode transportar o vírus. Portanto, não compartilhar bebidas com desconhecidos, por exemplo, é uma forma de prevenção”, explica O Dr. Mauricio.

A hepatite C é a maior responsável pela cirrose hepática em todo Brasil. Transmitido pelo sangue contaminado, o vírus do tipo C sobrevive por várias horas ou até por alguns dias fora do corpo.

Durante as festas, costuma-se perder bastante líquido e gastar muita energia pelas altas temperaturas. A recomendação é manter o corpo hidratado com sucos naturais de frutas e água. Para aqueles que preferem bebidas alcoólicas, o ideal é intercalar as doses, sem exagerar, com outra bebida hidratante.

Além disso, prefira refeições leves. Alimente-se antes de sair de casa e evite refeições muito pesadas e gordurosas. Prefira carboidratos integrais, que podem ser combinados com frango ou peixe, acompanhados de legumes e verduras. O ideal é fazer as três principais refeições (café, almoço e jantar) e lanches leves nos intervalos.

Caia na folia do Carnaval e leve as crianças!

» -------------------------------------------------------------------------------------------------------------

postado em 5 de Fevereiro de 2013

0008633235X-565x849

O Carnaval é uma das festas mais celebradas no Brasil, adorada tanto por adultos como por crianças, que também querem aproveitar a data para brincar, dançar e se divertir.

“É uma época propícia para elas imaginarem um mundo de fantasias e isso é bastante positivo, pois pode contribuir para torná-las adolescentes e adultos criativos e com raciocínio mais rápido”, afirma o pediatra do Hospital e Maternidade São Luiz, Dr. Marcelo Reibscheid.

Não há restrições para começar a aproveitar a folia, contudo, o especialista aconselha os pais a levarem os filhos a bailes e eventos carnavalescos quando os pequenos já estiverem andando, por volta dos 10 meses a um ano e meio.

Nesta idade, já é possível interagir e participar das brincadeiras, promovendo a socialização entre os colegas.

“As atividades coletivas fazem com que as crianças sejam mais sociáveis e tenham a oportunidade de adquirir experiências e visões de vida diferentes”, diz o médico. “Elas aprendem também a compartilhar o que têm com outras pessoas, já que geralmente dividem serpentinas e confetes, por exemplo.”

Para aproveitar as festividades com segurança e bem-estar, vale atentar-se para alguns pontos:

Hidratação: Em virtude do calor e consequente sudorese, é imprescindível beber líquidos no decorrer da festa, como água, leite ou suco.

Alimentação: O ideal é ingerir alimentos leves e práticos, como frutas ou mesmo sucos. Mas, como o momento é de descontração, são permitidas guloseimas, como doces e pipocas, desde que sem exagero.

Vestuário: Roupas confortáveis dão liberdade de movimento e, por isso, são recomendadas. As fantasias, porém, são as mais reivindicadas pelas crianças, mas é preciso ter atenção se o elástico aperta ou o tecido irrita a pele, podendo gerar alergia; neste caso, basta retirar a peça e aguardar, pois o desconforto passará em curto prazo.

 Segurança: Sprays de espuma fazem a alegria da garotada, no entanto, é fundamental conferir a composição química dos produtos para verificar se não são tóxicos e não contêm álcool, a fim de evitar alergias e ardência na pele e nos olhos. Respeitar a faixa etária do evento é importante para que os menores não acabem sendo machucados por empurrões ou quedas.

Dieta certa pode garantir mais energia

» -------------------------------------------------------------------------------------------------------------

postado em 1 de Março de 2011

Pular carnaval requer não apenas muita disposição e alegria, como também muita energia. Para isso, o Yahoo! consultou o nutrólogo Celso Cukier, do Hospital São Luiz, que deu algumas sugestões de alimentação:

 

1) Não sair de casa em jejum. De preferência, comer alimentos leves.
2) Ingerir muita proteína, preferindo carnes magras;
3) Evitar frituras e gorduras uma semana antes do Carnaval ajuda a aumentar a disposição.
4) Se preocupar em se hidratar, tomando muita água.

Conjuntivite é mais frequente no Carnaval

» -------------------------------------------------------------------------------------------------------------

postado em 1 de Março de 2011

Para muitos, o Carnaval é sinônimo de festa nas ruas. Seguir os blocos, ouvir marchinhas e vestir fantasias fazem parte da tradição brasileira. Mesmo sendo uma época de diversão, é sempre bom tomar alguns cuidados com as “doenças da moda”.

 

Entre essas doenças está a conjuntivite. A oftalmologista do Hospital São Luiz Daniella Fairbanks relata que há um aumento de cerca de 40% no atendimentos oftalmológicos nessa época do ano.

 

Um dos fatores que mais influenciam no aumento do contágio da doença é a multidão. A conjuntivite é transmitida por contato direto e com a concentração de pessoas no Carnaval ela é facilmente disseminada.

 

Para se prevenir, a principal dica é evitar passar as mãos nos olhos antes de lavá-las.

Fonte: Vida Equilíbrio

Produzido por Connexion Net

(c) 2010 - Blog da Saúde - Todos os direitos reservados