Blog da Saúde

Dúvidas e resposta sobre o colesterol

» -------------------------------------------------------------------------------------------------------------

postado em 28 de Março de 2013

fibranocoração

Em entrevista ao Jornal Bom Dia, o endocrinologista Alex Leitte (CRM:98974) respondeu a pergunta sobre o colesterol: suas causas, sintomas, consequências e tratamentos.

O que é o colesterol?

É uma molécula que circula naturalmente em nosso organismo. Ele é importante para que aconteça a circulação e a expulsão das gorduras presentes no sangue. Em outras palavras, é uma espécie de gordura do sangue que, se estiver balanceada, faz bem para a saúde.

Qual a diferença entre  colesterol ruim e colesterol bom?

O colesterol ruim se chama LDL. Ele pode se fixar nas artérias e provocar o entupimento delas. O HDL, conhecido como bom, retira das artérias o excesso de colesterol, diminuindo a formação da placa de gordura.

Como acontece o aumento do colesterol no sangue?

Há duas formas de acontecer. Uma deles é a condição genética ou hereditária de cada pessoa. Ou seja, quando o próprio corpo produz gordura em excesso. A outra é a alimentação errada.

Quais são os riscos do colesterol alto?

O principal risco é quando ocorre a aterosclerose, que é a formação de placas de gordura nos vasos sanguíneos, diminuindo a largura dos canais, o que pode levar a uma interrupção do fluxo de sangue. Como consequência, a pessoa pode ter uma alteração circulatória, um enfarte ou um derrame.

Qual é o tratamento?

Se o exame de sangue apontar alto nível de colesterol, o primeiro passo é procurar um médico especializado, no caso um endocrinologista. O tratamento, na maioria das vezes, fica resumido na mudança de hábitos. Deve-se diminuir a gordura e aumentar as fibras, pois elas ajudam a eliminar o colesterol pelo intestino.

Ao mesmo tempo, deve-se começar a praticar uma atividade física, pois ela favorece o aceleramento do metabolismo. O uso de medicamentos só é indicado para pacientes que precisam manter o colesterol sempre baixo, como é o caso de quem tem risco de doenças cardiovasculares.

Crianças podem ser diagnosticadas com colesterol alto?

Assim como os adultos, as crianças também podem ter colesterol alto. O tratamento é o mesmo para todas as idades, diferenciando apenas em relação ao tipo de medicação.

Colesterol tem cura?

O paciente deve estar ciente de que, quando se é diagnosticado com alto nível de colesterol no sangue, é muito importante seguir uma dieta balanceada. Uma vez com colesterol alto, o tratamento deve ser contínuo. Não adianta seguir as regras durante um mês e depois relaxar, pois ele vai aumentar novamente.

Selecionamos as principais perguntas e as colocamos para registro abaixo. Você pode acessar a matéria na íntegra clicando nesse link.

Como ter um coração sempre saudável?

» -------------------------------------------------------------------------------------------------------------

postado em 13 de Março de 2013

Cuidando do coração

Com o passar dos anos, a expectativa de vida no Brasil tem aumentado, assim como a quantidade de idosos no país. Porém, para chegar à terceira idade sem grandes complicações, é importante levar uma vida com bons hábitos desde a adolescência, cuidando principalmente do coração.

Segundo o cardiologista dr. João Vicente da Silveira, “as consultas no cardiologista devem começar a partir dos 18 anos, para que seja feito um acompanhamento preventivo de doenças cardiovasculares ao longo da vida”.

Homens entre os 45 e 60 anos são os mais afetados por problemas no coração. Porém, os casos de mulheres com AVC e arritmias estão crescendo devido ao estresse, fumo e uso de pílulas anticoncepcionais. Os riscos se acentuam principalmente na menopausa, período em que há uma queda do hormônio estrógeno, elevando o risco de desenvolvimento de doenças cardiovasculares.

O especialista dá cinco dicas para cuidar do coração desde cedo:

Tenha bons hábitos alimentares

Uma alimentação rica em gordura e fritura aumenta o colesterol, entupindo as artérias e facilitando infartos e derrames. Devem ser evitados alimentos fast food, pois têm uma alta concentração de sódio, açúcar e gordura trans.

As calorias geradas por esses ingredientes costumam se concentrar na região abdominal, prejudicando a saúde, uma vez que a circunferência da barriga pode ajudar no desenvolvimento de doenças. A recomendação é que as mulheres tenham, no máximo, 88 cm e os homens 100 cm.

 Desestresse

Pessoas mais nervosas, estressadas e ansiosas liberam uma substância chamada cortisol, que ao cair no sangue produz adrenalina, facilitando o aparecimento de arritmias. Assim, quanto mais estresse, maior a quantidade dessas substâncias que podem entupir as artérias do coração.

 Exercite-se

Praticar exercícios físicos durante a vida coopera para ossos, músculos e articulações mais fortes. Atividades físicas também previnem o sedentarismo, diminuindo o risco de doenças.

 Tenha uma boa noite de sono

Noites mal dormidas podem causar depressão, doença responsável por aumentar os riscos de infarto. É importante prestar atenção na pressão arterial, uma vez que pacientes obesos tendem a ter apneia do sono, aumentando o risco de morte.

 Faça check-up de rotina

A partir dos 45 anos é importante visitar um médico de confiança para fazer uma avaliação clínica e física, que consiste na realização de exames de sangue, ecocardiograma e raio-X torácico para verificar as chances de o paciente desenvolver problemas cardiovasculares. Diabetes e hipertensão são doenças que podem aparecer no decorrer da vida, sendo aconselhável que os exames sejam repetidos regularmente.

Quer aprender a cuidar melhor do seu coração?

» -------------------------------------------------------------------------------------------------------------

postado em 20 de setembro de 2012

Confira a entrevista dada pelo cardiologista João Vicente da Silveira ao portal IsaRuck com dicas e cuidados que devemos tomar para preservar a saúde do nosso sistema cardíaco:

Aposte no vinho para uma vida mais saudável!

» -------------------------------------------------------------------------------------------------------------

postado em 6 de agosto de 2012

O consumo moderado de vinho pode reduzir os riscos de desenvolvimento de doenças cardiovasculares, artrite e até câncer de mama. A bebida também pode ajudar a controlar o peso, prevenir efeitos negativos do sedentarismo e proteger mulheres da osteoporose. E eses são apenas alguns dos muitos benefícios atribuídos à bebida por meio de pesquisas.

Os componentes do vinho que são os responsáveis pela sua fama são o álcool e os polifenois. “O álcool aumenta os níveis do colesterol bom (HDL), reduz o risco de formação de coágulos e possui efeito anti-inflamatório. Já os polifenois reduzem a produção de substâncias vasoconstrictoras (endotelina) e a formação de trombos pela agregação plaquetária, além de possuir efeito antioxidante. Ambos melhoram a capacidade de dilatação e a função vascular”, listou o cardiologista Miguel Moretti, do Hospital e Maternidade São Luiz, de São Paulo.

Os vinhos tintos são os mais aclamados. “Apesar de a ação dos polifenois dos vinhos brancos ser superior à dos vinhos tintos, nestes a quantidade é muito maior e, por isso, são considerados mais saudáveis’, disse a sommelière Daniella Romano. Mas isso não significa que é o único bom, principalmente porque há mais estudo com ele do que com outros tipos, diz o cardiologista.

De maneira geral, o consumo diário de 15 g a 30 g de álcool, o que corresponde a até dois cálices de vinho, estaria relacionado a efeitos positivos, como informou o médico. A sommelière recomenda até duas taças para homens e uma para as mulheres. Vale lembrar que nem todo adulto pode ingerir vinho ou qualquer bebida alcoólica. A lista dos que não devem saboreá-lo é formada por hepatopatas (quem tem doença do fígado, como cirrose), pessoas com altas taxas de triglicérides, pancreatite, úlcera gástrica, problemas psiquiátricos, gastrite e diabetes. O consumo de álcool pode aumentar as arritmias e piorar os quadros de insuficiência cardíaca, de acordo com o especialista.

“Cabe lembrar que essas informações são decorrentes de estudos observacionais e não de intervenção. Outra informação importante em relação ao benefício do consumo de vinho é que está relacionado às mudanças dos hábitos de vida para coisas mais saudáveis, como parar de fumar, fazer exercícios e consumir alimentos mais saudáveis”, comentou Moretti. Quer conhecer 10 benefícios atribuídos ao vinho em levantamentos recentes? Confira abaixo:

Vinho tinto pode prevenir efeitos negativos do sedentarismo

O ingrediente saudável do vinho tinto, o resveratrol, pode prevenir os efeitos negativos do estilo de vida sedentário. Para chegar a essa conclusão, a equipe de cientistas utilizou ratos e simulou a gravidade dos voos espaciais (baixa gravidade torna quase impossível a prática de atividades).

Apenas alguns animais receberam diariamente o resveratrol e o grupo controle (sem resveratrol) desenvolveu problemas, como resistência à insulina e perda de densidade mineral óssea. O restante não apresentou nenhuma dessas complicações. O editor-chefe do FASEB Journal, que publicou o estudo, disse que o resveratrol não é um substituto para o exercício, mas pode retardar a deterioração até que a pessoa possa começar a se mover novamente.

Vinho pode proteger mulheres contra ossos fracos

Beber uma ou duas taças de vinho por dia torna a mulher menos propensa a desenvolver osteoporose, de acordo com um estudo da Universidade Estadual de Oregon, nos Estados Unidos. Os cientistas constataram que os ossos das mulheres que bebem moderadamente ficaram mais fracos quando pararam de ingerir álcool por duas semanas. E, em menos de um dia depois de retomar o hábito, os ossos voltaram ao normal.

Três taças de vinho por semana podem reduzir risco de artrite em mulheres

Cientistas do Instituto Karolinska, na Suécia, analisaram 34.100 mulheres entre 39 e 84 anos e constataram que as que bebiam pelo menos três taças médias (150 ml) de vinho por semana eram até 52% menos propensas a desenvolver artrite reumatoide. A doença é causada pelo próprio sistema imunológico do organismo, que ataca as células que revestem as articulações, e acredita-se que o álcool pode contrariar esse processo, pois diminui a resposta imunológica.

Vinho pode ajudar mulheres a engravidar mais rápido

Segundo pesquisa do Centro de Ciência Epidemiológica Dinamarquês, uma taça de vinho tinto ou branco ao anoitecer aumenta as chances de a mulher engravidar. O levantamento com 30 mil mulheres descobriu que aquelas que ingeriam a bebida regularmente tinham quase um terço menos chances de esperar mais de um ano para ficar grávidas e 23% menos probabilidade de aguardar mais de dois meses. Não se sabe ao certo o motivo do benefício.

Vinho pode impedir aumento de peso

A substância piceatannol, presente no vinho tinto, pode retardar a geração de células jovens de gordura e as impede de se transformarem em células maduras. A pesquisa foi realizada pela Universidade de Purdue, nos Estados Unidos.

Vinho tinto pode proteger contra doenças cardíacas e diabetes

O resveratrol, presente no vinho tinto, pode proteger pessoas com alto risco de doença cardíaca e diabetes. De acordo com pesquisa da Universidade de Maastricht, na Holanda, o antioxidante pode diminuir os níveis de açúcar no sangue e reduzir a pressão arterial. Para chegar à essa conclusão, os cientistas analisaram os efeitos de suplementos de resveratrol em homens obesos.

Vinho pode ajudar mulheres a engordar menos

Mulheres que saboreiam álcool com moderação, especialmente uma ou duas taças de vinho tinto por dia, engordam menos que as abstêmias. A pesquisa realizada por Brigham and Women’s Hospital Boston, nos Estados Unidos, avaliou por 13 anos 19.200 americanas a partir de 39 anos. O estudo sugere que o corpo processa as calorias do álcool de forma diferente das dos alimentos.

Vinho tinto pode ajudar a reduzir risco de câncer de mama em mulheres

Beber vinho tinto com moderação pode reduzir um dos fatores de risco para câncer de mama. O estudo do Centro Médico Cedars-Sinai, nos Estados Unidos, constatou que substâncias químicas nas cascas e sementes das uvas tintas reduziram ligeiramente os níveis de estrogênio, enquanto elevaram a testosterona, em mulheres na pré-menopausa que ingeriram a bebida à noite durante cerca de um mês.

Substância do vinho tinto pode aumentar desempenho físico

O resveratrol presente no vinho tinto pode melhorar o desempenho físico, a função do coração e a força muscular. As descobertas são de experimentos de laboratório realizados pela Universidade de Alberta, no Canadá.

Duas taças de vinho por dia podem melhorar qualidade de vida

Saborear duas taças de vinho por dia podem ser o caminho para melhorar a qualidade de vida. De acordo com um estudo da Escola de Medicina da Universidade de Boston, nos Estados Unidos, beber com moderação leva a resultados melhores em testes de habilidade, emoção, mobilidade e capacdade de entender na meia-idade.

Fonte:

Por que as doenças no coração aparecem mais no inverno?

» -------------------------------------------------------------------------------------------------------------

postado em 12 de junho de 2012

Dados da Associação Americana do Coração mostram que o inverno aumenta em até 25% a incidência de doenças cardiovasculares. Por que será?

De acordo com o cardiologista João Vicente da Silveira, do Hospital e Maternidade São Luiz, as infecções e viroses causadas, nesta estação, afetam diretamente a circulação sanguínea.

“Essas infecções respiratórias comprometem todo o organismo e causam um processo de inflamação nas artérias. Isso exige um esforço ainda maior do coração, resultando em um desiquilíbrio do músculo cardíaco. Quem já tem problemas cardíacos, acaba ficando mais exposto a infartos”, explica.

Quando o frio entra em contato com a pele, o corpo produz espasmos arteriais para manter sua temperatura natural. Essas contrações causam aumento da pressão arterial e predispõem a formação de coágulos no sangue.

“Aproximadamente 30% dos infartos que ocorrem no Brasil são decorrentes das mudanças bruscas de temperatura. Não só o coração sofre essas reações, como também o pulmão. Há registros de casos de AVC por conta dessas alterações na densidade sanguínea.”

Ainda de acordo com o médico, os tabagistas, idosos e hipertensos são os mais propensos a desenvolver problemas cardíacos nesta época do ano. “Nesses casos, as chances de sobrevida após um infarto caem pela metade. Por isso, exigimos tanto que os cuidados sejam tomados, principalmente com a alimentação, o consumo de caldos leves e sopas, que são ótimos agentes contra as ações do inverno”, finaliza.

Dicas para evitar um infarto

» -------------------------------------------------------------------------------------------------------------

postado em 8 de junho de 2012

A maioria das mortes por infarto ocorre nas primeiras horas de manifestação da doença, conforme dados do Ministério da Saúde. Na primeira hora depois do surgimento dos acontecem 65% dos óbitos, enquanto 80% ocorrem até 24 horas após o início do quadro. Por isso, a importância de estar atento aos sinais.

Segundo o cardiologista Miguel Moretti, do Hospital São Luiz, quem possui históricofamiliar de cardiopatias tem que estar sempre em dia com exames como ecocardiograma, teste de esforço, raio-X de tórax, eletrocardiograma e exames de sangue.


E também existem outras atitudes que ajudar a proteger a saúde do seu coração:


Siga uma dieta equilibradaAlimentar-
se bem não significa comer muito. É importante que a alimentação contemple frutas, verduras, legumes e carboidratos, pois isso reflete no colesterol. Uma dieta balanceada auxilia o organismo a equilibrar proteínas e nutrientes.Vá ao médico regularmenteNão só quem tem histórico de doenças cardiovasculares na família precisa buscar orientação médica. Com exames de rotina é possível analisar os níveis de açúcar e colesterol no organismo.Fique de olho na sua faixa etária

Apesar de o infarto aparecer em muitas pessoas mais jovens, entre 18 e 40 anos, os idosos ainda são o grupo de maior risco da doença. Geralmente, eles já desenvolveram hipertensão ou diabetes ao longo dos anos, o que dificulta os tratamentos, pois podem essas doenças podem acarretar lesões nos rins e no coração.

Evite o tabagismo

As substâncias do cigarro destroem o endotélio, camada de proteção das veias, e oxidam as artérias, deixando-as suscetíveis ao contato da gordura do organismo, o que ocasiona a formação de depósito de gordura em locais inadequados.

Atenção com diabéticos e hipertensos

O ideal é seguir as dietas e os tratamentos indicados. Controlar o peso e o consumo de alimentos gordurosos é o melhor a fazer nesse caso.

Pratique exercícios

O que tem se notado é que a parcela mais jovem que apresenta níveis altos de colesterol também é sedentária. A prática de atividade física contribui para evitar infartos e diversas outras doenças, tais como hipertensão, diabetes e o sobrepeso.

Consuma gordura saudável

As gorduras fazem parte da nossa alimentação, porém é preciso atenção para consumir somente as gorduras saudáveis, que podem ser encontradas no azeite, no chocolate meio amargo, na castanha-do-pará e também no abacate. São as chamadas gorduras polinsaturadas, de origem vegetal.

Evite o consumo exagerado de bebidas alcoólicas

Elas não têm uma ligação direta com os infartos, mas, em excesso, prejudicam muito a saúde. Os estudos epidemiológicos afirmam que substâncias como o vinho, em pequenas doses, podem ajudar o sistema cardiológico do corpo, uma das explicações está no fato de a bebida funcionar como antioxidante no organismo, produzindo efeitos positivos como a redução do risco de derrames cerebrais.

Alerte seu médico sobre os casos de infarto na família

É importante fazer um acompanhamento mais aprofundado, pois a chance de desenvolver a doença é muito maior.

Abuse da diversão e do entretenimento

É importante saber administrar o estresse emocional. Pessoas muito aceleradas e que trabalham demais estão suscetíveis aos infartos. Divirta-se, pois atividades prazerosas liberam a endorfina e equilibram o organismo.

Produzido por Connexion Net

(c) 2010 - Blog da Saúde - Todos os direitos reservados