Blog da Saúde

Sem dúvidas e cheios de carinho

» -------------------------------------------------------------------------------------------------------------

postado em 22 de novembro de 2012

Foi com um sorriso aberto e cheia de disposição que Anna Carvalho participou dessa entrevista e também encarou todo o sábado durante o Curso Preparatório para Pais : “Foi uma experiência totalmente positiva, conseguimos tirar várias dúvidas”.

Acompanhada do marido, Dario, e da Alice, que está com 32 semanas, Anna aproveitou o dia aprender mais sobre os cuidados necessários com a sua bebê e esclarecer todos os pontos em que ela não tinha muita certeza, como amamentação e sono.

“Gostei bastante da parte em que foi explicado os tipos de parto: quero muito tentar o normal, mas ainda não sei qual vou escolher. Também achei muito interessante o momento que fala sobre a temperatura da água para o bebê, pois finalmente consegui saber, de fato, que eles realmente sentem um pouco mais de frio do que nós sentimos”, explica.

E o pai, também gostou? “Foi muito útil pra gente. Desde o começo da gravidez ouvimos diversas informações bem desencontradas sobre tudo o que é relacionado com o bebê e aqui pudemos finalmente tirar nossas dúvidas e saber com certeza o que funciona e o que não passa de boato”, ressalta Dario.

E no final, Anna só tem elogios a fazer: “Valeu muito à pena fazer o Curso Preparatório para Pais. Foi muito legal ficar com outros casais que estão passando pelo mesmo momento que a gente e todo o investimento que pudermos fazer para saber com cuidar melhor da Alice é mais do que válido”.

Informação nunca é demais

» -------------------------------------------------------------------------------------------------------------

postado em 21 de novembro de 2012

 

Grávidos do Miguel, que está com 30 semanas, Priscila e Bruno Tenreiro foram ao Curso Preparatório para Pais com muita vontade de aprender: ocuparam a primeira fileira da sala, prestando atenção a tudo o que os médicos e enfermeiros falavam sobre os primeiros cuidados com os pequenos.

“Foi muita informação importante que com certeza vamos usar após o nascimento do Miguel”, comenta Priscila, que já está bastante ansiosa com a proximidade do parto e não vê a hora de conhecer a carinha do seu bebê.

Priscila gostou especialmente quando foram explicadas as diferenças entre a cesárea e o parto normal: “Ainda não escolhi como o Miguel vai nascer, mas ter á mão as vantagens e desvantagens de cada método vão me ajudar a tomar a decisão de forma mais segura e tranquila”, diz.

Bruno também aprovou passar o sábado aprendendo mais sobre como cuidar do filho que está por vir: “O curso está ajudando bastante a tirar todas as nossas dúvidas, principalmente na parte que esclarece o que é mito e o que é verdade durante o parto e os cuidados do bebê”, explica.

E o balanço final: valeu à pena acordar em pleno sábado de feriadão? “Com certeza. Quando você está interessada em um assunto, faz o possível e impossível para saber mais. E quando o assunto é o seu filho, aí não tem nada que não passe para segundo plano!”, afirma Priscila.

Pais também querem seu lugar na gestação!

» -------------------------------------------------------------------------------------------------------------

postado em 10 de agosto de 2012

Ansiosas e cheias de angústias sobre a chegada de seus bebês, as mães costumam frequentar cursos para gestantes e ler todos os livros e revistas sobre gravidez disponíveis no mercado.

Mas, segundo a enfermeira Márcia Regina da Silva, responsável pelo curso para gestantes da unidade Itaim do Hospital e Maternidade São Luiz, os homens têm tido uma participação tão ativa quanto elas durante as aulas.

“Eles expõem mais dúvidas do que as mulheres e ganham consciência da enorme importância que têm antes e depois do nascimento. Saem de lá muito mais confiantes”, diz.

A mulher tem o privilégio de ter o bebê em seu útero, mas é seu papel ajudar o homem a participar desse contato tão íntimo. Muitos dizem que os homens se transformam em pais apenas quando veem seus filhos, mas o vínculo paternal pode ser estabelecido muito antes disso.

No curso preparatório para pais da Maternidade São Luiz, eles são envolvidos em todos os tópicos discutidos e aprendem, por exemplo, como respeitar alterações físicas e psicológicas da gestante, reconhecer sintomas de trabalho de parto, ajudar a mãe durante a amamentação e dar banho no bebê.

O curso é oferecido pela Maternidade São Luiz desde 1987 e ministrado por uma equipe de enfermeiras, pediatras e obstetras. Fazem parte da programação os módulos “cuidados especiais durante a gravidez”; “evolução do feto”; “mudanças físicas e psicológicas da gestante”; “cuidados pós-parto”; “características e necessidades do recém-nascido”; “banho, troca de faldas, curativo umbilical e técnicas de aleitamento”; e “amamentação”.

Segurança e tranquilidade às mães de primeira viagem

» -------------------------------------------------------------------------------------------------------------

postado em 11 de Maio de 2012

 

Irene Melo e Antonio Evangelista estão esperando a chegada da Isabella, que já está com 35 semanas, e participaram do curso de gestantes promovido pelo Hospital e Maternidade São Luiz.

Essa é a primeira gravidez da Irene e o curso a ajudou a encontrar “um norte” sobre a melhor maneira de cuidar da sua pequena. “A gente ouve tanta coisa durante esses nove meses que, chega uma hora, não sabemos mais o que é certo ou errado. Fazer esse curso foi de grande ajuda pra mim, pois agora eu já sei o que é verdade e o que não passa de bobagem”, explica.

Para Irene, o apoio que o São Luiz fornece aos pais após a saída do hospital tranquiliza e dá maior segurança aos pais. “O curso passa tantas informações que acabamos esquecendo metade delas quando vamos pra casa. É muito bom ter o suporte que o hospital oferece. Saber que temos canais de ajuda, como o GAAM e o Disque bebê, para onde podemos recorrer se precisarmos, nos dá maior confiança nos primeiros dias do nascimento”.

Curso de gestante: especial amamentação

» -------------------------------------------------------------------------------------------------------------

postado em 10 de Maio de 2012

No último domingo, dia 06, estivemos na unidade Itaim do Hospital e Maternidade São Luiz para acompanhar o último dia do Curso para Gestante promovido pelo centro médico, cujo tema era dicas e conselhos sobre amamentação.

Fizemos uma cobertura on-line do evento, que pode ser conferida tanto na nossa Fan Page como no perfil do Twitter, mas resolvemos trazer para vocês um resumo de tudo o que foi falado no evento!

Primeiro passo: o que é necessário para amamentar

“Existem 4 P’s essenciais para as mães que desejam amamentar o seu filhote: Peito, Paciência, Perseverança e o Pai da criança, que serve de grande apoio nesse momento.”, explica a enfermeira Márcia Regina coordenadora do Grupo de Aleitamento Materno do São Luiz.

Segundo ela, essa é uma tarefa que exige muito das mães, pois é um aprendizado tanto para ela como para o bebê, que nunca precisou se alimentar dessa forma quando estava dentro da mãe. “Mas existem algumas dicas e conselhos que ajudam, e muito, as mamães de primeira viagem”.

Segundo passo: posição

Nos primeiros dias, a mãe precisará de um local de apoio para conseguir amamentar, como uma poltrona ou a cadeira. Ou seja: fuja da cama.

A posição mais tradicional para amamentar o bebê é a de barriga com barriga, quando o corpo da mãe fica voltado para o corpo da criança e a boca se encontra de frente ao seio.

Mas também existem outras duas que podem ser usadas: a cavalinho, em que o bebê fica encaixado na perna da mãe, e invertida, quando a criança é colocada debaixo do braço da mãe e fica com um travesseiro apoiando o corpo.

Terceiro passo: estímulo

Para que o seu bebê consiga mamar corretamente ele precisa estar acordado. E como ter certeza disso? Estimulando-o: tire um pouquinho a roupa dele, faça cócegas no pé, brinque no nariz. Mas não leve-o ao peito antes de ter a certeza de que ele está acordado.

Se o bebê estiver mamando bem, o tempo que ele irá levar em cada peito gira em torno de 15 a 20 minutos. Bebês que mamam muito tempo, normalmente, não estão mamando corretamente.

Lembre-se: ficar no peito não é sinônimo de mamar

Quarto passo: dando o peito

Pedimos para a enfermeira Márcia Regina ilustrar a maneira correta de segurar o seio e o resultado está aí, na foto ao lado: o jeito certo é segurando a base do peito na posição de concha ou tesoura, assim o bebê consegue mamar com mais facilidade e sem machucar o bico da mãe.

Outra dica de ouro, mas que muitas mulheres desconhecem: espere o seu filho “abrir um boca” para mamar. “Como, na barriga da mãe, a única experiência de sucção que a criança teve foi com o próprio dedo, que é bem menor do que o seio materno, o que faz com que ele tenda a pegar uma parte pequena do peito. Então, por mais angustiante que possa parecer às mamães, ela precisa ter um pouco de paciência e esperar ele abrir a boca com vontade”, orienta Márcia.

Se por acaso você sentir o seu leite “empedrar”, segure firmemente uma parte da aréola e massageie o outro lado e depois inverta o processo. Após o bebê ter acabado a mamada, faça isso em toda a extensão do peito.

Quinto passo: armazenando o leite

Caso você precise retornar ao trabalho ou ir a algum lugar cuja permanência não seja adequada para o bebê, você pode armazená-lo na geladeira, onde ele pode ficar por até 12 horas, ou congelando-o, que fará com que sua validade salte para trinta dias.

Quando for aquecê-lo, descongele-o em banho-maria e dê o leite ao bebê em um recipiente pequeno, um copo de plástico para café ou uma xícara pequena de porcelana.

Dica: se você produz mais leite do que o seu bebê aguenta tomar, que tal doar a quantidade restante para um banco de leite humano? Dessa maneira, você estará ajudando a muitas mulheres que, por diversas razões, não podem alimentar seus filhotes com o leite materno.

Leia o depoimento de uma mamãe que participou do curso!

Produzido por Connexion Net

(c) 2010 - Blog da Saúde - Todos os direitos reservados