Blog da Saúde

Curtir o Carnaval também pede atenção à saúde

» -------------------------------------------------------------------------------------------------------------

postado em 24 de Fevereiro de 2017

Cuidados simples, como o uso de preservativo nas relações sexuais, hidratação e alimentação garantem uma folia mais segura

A empolgação que embala a maior festa popular do país esconde vilões como os vírus da hepatite A, B, ou C, problemas de desidratação e até mesmo distúrbios intestinais, provocados pela má alimentação.

Para evitar o contato com a hepatite, doença silenciosa que ataca o organismo podendo causar danos irreversíveis ao fígado, principalmente durante o carnaval, é importante seguir algumas recomendações médicas, começando pela vacinação de combate à hepatite B, disponível gratuitamente na rede pública de saúde.

Para o Dr. Mauricio Serpa, clínico geral do Hospital e Maternidade São Luiz Anália Franco, o uso de preservativo é fundamental para evitar a contaminação com o vírus do tipo B, que na maioria dos casos é transmitido em relações sexuais. “Sexo seguro deve ser feito com camisinha, seja durante o carnaval, ou ao longo do ano. O contágio com a hepatite B pode ocorrer em uma única relação sem proteção”, enfatiza.

Também é importante ficar atento na hora das refeições. Alimentos e até mesmo água comercializados nas ruas, ou em ambientes sem condições básicas de higiene, podem estar contaminados e servir de vetores para a hepatite A. O ideal é evitar, inclusive, dividir copos, latinhas de cerveja e talheres, pois este tipo de vírus é transmitido, também, pelo contato pessoal.

“A troca de saliva pode transportar o vírus. Portanto, não compartilhar bebidas com desconhecidos, por exemplo, é uma forma de prevenção”, explica O Dr. Mauricio.

A hepatite C é a maior responsável pela cirrose hepática em todo Brasil. Transmitido pelo sangue contaminado, o vírus do tipo C sobrevive por várias horas ou até por alguns dias fora do corpo.

Durante as festas, costuma-se perder bastante líquido e gastar muita energia pelas altas temperaturas. A recomendação é manter o corpo hidratado com sucos naturais de frutas e água. Para aqueles que preferem bebidas alcoólicas, o ideal é intercalar as doses, sem exagerar, com outra bebida hidratante.

Além disso, prefira refeições leves. Alimente-se antes de sair de casa e evite refeições muito pesadas e gordurosas. Prefira carboidratos integrais, que podem ser combinados com frango ou peixe, acompanhados de legumes e verduras. O ideal é fazer as três principais refeições (café, almoço e jantar) e lanches leves nos intervalos.

Exercícios físicos podem ser iniciados na terceira idade

» -------------------------------------------------------------------------------------------------------------

postado em 6 de Abril de 2015

915227_59731382 hidroginastica

Ser idoso e sedentário não é desculpa para iniciar a prática de exercícios físicos. Dr. Maurício Serpa, Médico Coordenador Hospitalista e Chefe de Equipe de Clínica Médica do Hospital e Maternidade São Luiz Anália Franco, explica que a prática da atividade física pode ser iniciada na terceira idade, desde que haja um acompanhamento adequado.

“É necessária uma fase de adaptação, além da realização de uma avaliação médica prévia. Normalmente, para indivíduos muito sedentários, nossa recomendação é começar com pequenas caminhadas ou pedalar sem nenhuma carga. Estas atividades devem ser realizadas entre 20 a 30 minutos por dia, três vezes por semana, durante quatro semanas. Para iniciantes, também costumamos recomendar a hidroginástica, pois há poucos riscos de lesões e é uma atividade em que a frequência cardíaca permanece mais baixa.”

A partir desta primeira etapa e de acordo com o desempenho do idoso, atividades moderadas já são permitidas. Quanto mais dedicado o indivíduo estiver aos exercícios, maiores os benefícios alcançados. Confira alguns deles, listados pelo Dr. Mauricio Serpa:

– Melhora do equilíbrio e sustentação do tronco;
– Melhora da velocidade de caminhada;
– Aumento da densidade óssea e prevenção da osteoporose (principalmente entre as mulheres, que são acometidas pela doença após a menopausa);
– Ativação do sistema cardiovascular;
– Auxílio no controle glicêmico para os diabéticos e prevenção para quem não tem a doença;
– Melhora do sistema digestivo. Além de oxigenar melhor os tecidos, os exercícios físicos aumentam o peristaltismo (movimentos involuntários realizados pelos órgãos do tubo digestivo para auxiliar a passagem do bolo alimentar);
– Prevenção da depressão, uma vez que a prática de atividades físicas libera endorfina e melhora a disposição e a autoestima.

O médico ressalta, porém, que as atividades devem ser acompanhadas por um fisioterapeuta ou um professor de educação física. Caso contrário, o idoso pode sofrer lesões ligamentares (nos ligamentos), articulares e musculares. A sobrecarga também pode gerar desgastes ósseos que levam a processos de artrose.

#HospitalSaoLuiz #SaoLuizAnaliaFranco #idoso

O que levar no kit de primeiros socorros

» -------------------------------------------------------------------------------------------------------------

postado em 17 de dezembro de 2014

Se você vai viajar, não se esqueça de levar uma caixinha de emergência. Dra. Andrea Sette, pneumologista e clínica geral do Hospital e Maternidade São Luiz Itaim, orienta que este kit deve conter:

– Curativo adesivo de diversos tamanhos;
– Analgésicos e antitérmicos;
– Termômetro;
– Álcool gel.

A médica explica que em caso de qualquer ferimento, o melhor a fazer é lavar o local com água e sabão neutro para tirar a sujeira e para não haver contaminação. Dra. Andrea afirma ainda que é essencial verificar as datas de validade dos medicamentos contidos no kit.

Outras recomendações são não se automedicar e nunca realizar uma viagem caso sinta mal-estar. O ideal é procurar atendimento médico para ser examinado antes de qualquer deslocamento, principalmente de avião, onde o socorro é mais complicado.

#HospitalSaoLuiz #SaoLuizItaim #primeirossocorros

878051_85801803 - kit primeiros socorros 2

Cuidado com a desidratação e a insolação

» -------------------------------------------------------------------------------------------------------------

postado em 12 de dezembro de 2014

845626_58449710 rio de janeiro

A situação se repete no verão, todos os anos. As pessoas vão à praia ou à piscina pela manhã e passam o dia inteiro sob um sol escaldante. Esta exposição excessiva sem os devidos cuidados pode levar a um quadro grave de insolação. Pessoas com extremos de idades, como crianças e idosos, são as que mais sofrem.

Ficar sob o sol muito quente pode causar várias manifestações do organismo. Os sintomas mais comuns costumam ser: mal estar, vômito, tontura e náusea. Em alguns casos, a pressão arterial pode cair e a frequência cardíaca aumentar.

Na insolação, a temperatura corporal aumenta rapidamente e o organismo fica impossibilitado de resfriá-lo. Em casos extremos, ela pode causar danos aos órgãos e até levar à morte. Caso perceba que alguém está com a pele vermelha, quente e seca, com febre alta, tontura e confusão mental, leve-a para um local fresco e tente baixar sua temperatura corporal, com um banho de água fria, por exemplo. Também é importante chamar o socorro imediatamente.

Dra. Andrea Sette, clínica geral e pneumologista da unidade Itaim do Hospital e Maternidade São Luiz, explica que prevenir a desidratação e a insolação é muito simples. Basta seguir algumas orientações:

– Hidratar-se frequentemente;
– Alimentar-se de forma saudável, evitando condimentos e comidas gordurosas;
– Usar boné, óculos escuros e protetor solar no corpo e no rosto;
– Evitar a exposição direta ao sol (principalmente entre 10h e 17h);
– Não ingerir bebidas alcoólicas, já que o álcool “desidrata” o organismo.

#HospitalSaoLuiz #SaoLuizItaim #desidratacao #insolacao

Por que ser multitarefa faz mal?

» -------------------------------------------------------------------------------------------------------------

postado em 12 de Março de 2013

Lado mau de ser mutitarefa

O universo feminino modificou-se consideravelmente se compararmos as gerações passadas com a atual. Há 30 ou 40 anos, o papel da mulher não incluía trabalhar, estudar e cuidar da família de uma só vez. Porém, além de independência e autonomia, essa nova rotina também trouxe algumas mudanças na saúde da mulher.

Segundo a clínica geral Dra. Andrea Sette, “ao ser inserida em um ambiente que era tipicamente masculino e ao adotar hábitos como o tabagismo e a ingestão de bebidas alcoólicas, a mulher passou a ter algumas doenças que eram exclusivas dos homens, como doenças cardiovasculares”.

O acúmulo de várias atividades no dia a dia pode causar uma pressão extra na vida das mulheres. Essa rotina corrida trouxe problemas na alimentação, possível aumento do colesterol e sedentarismo.

Também aumentaram as chances de doenças cardiovasculares, onde a mulher tem maior incidência na menopausa, devido à queda do hormônio estrógeno. Segundo a especialista, enquanto o número de infartos entre os homens teve uma queda de 17%, entre 2009 e 2010, entre as mulheres cresceu 3,8%, no mesmo período.

Uma das características mais presentes no sexo feminino é a cobrança pessoal, sendo a maior causa de distúrbios de ansiedade, que causam frustração e levam muitas vezes à depressão, uma das doenças do século.

“Para aliviar a tensão, muitas mulheres recorrem ao cigarro para diminuir a ansiedade e o estresse. Porém, o fumo quando associado à reposição hormonal (pílulas anticoncepcionais), aumentam as chances do desenvolvimento de trombose”, indica a médica. Para que isso não ocorra, é importante que a mulher tenha um cuidado redobrado com a saúde.

Avaliações médicas periódicas são imprescindíveis para a prevenção de diversas doenças. Importante também melhorar a alimentação, reforçando a ingestão de alimentos magros e de verduras, e o consumo de sucos naturais, substituindo os refrigerantes.

“Uma dica simples é trocar os lanches calóricos da tarde por frutas, castanhas ou iogurtes. Parar de fumar, caminhar até o trabalho e optar por usar as escadas, são práticas simples que vão ajudar na saúde”, aconselha a Dra. Andrea.

Para quem fica muito tempo sentado em frente ao computador, vale ter uma atenção especial para evitar problemas na coluna. Exercícios físicos e a postura adequada ajudam na prevenção de doenças.

Produzido por Connexion Net

(c) 2010 - Blog da Saúde - Todos os direitos reservados