Blog da Saúde

Gastrite e esofagite estão cada vez mais comuns na infância e pré-adolescência

» -------------------------------------------------------------------------------------------------------------

postado em 19 de fevereiro de 2015

1195122_11718255 crianca barriga

Estranho pensar em crianças com gastrite ou esofagite – doenças geralmente associadas à vida adulta devido à correria e estresse do dia a dia. No entanto, segundo Thiago Gara, gastropediatra do Hospital e Maternidade São Luiz Anália Franco, essas patologias estão cada vez mais comuns na infância (em crianças a partir dos cinco anos) e na pré-adolescência devido à má alimentação, estresse e ansiedade.

“Hoje as crianças e adolescentes possuem uma rotina cheia, com aulas de línguas, música, dança, natação etc. Esse excesso de atividades pode gerar ansiedade e estresse e, consequentemente, provocar uma gastrite ou esofagite”, explica Thiago Gara. Contaminação por bactérias, uso indevido de medicamentos e consumo excessivo de comidas condimentadas são outros fatores que podem desencadear as doenças caracterizadas por inflamações no estômago e esôfago.

Como nem sempre as crianças são capazes de explicar o que sentem, os pais ou responsáveis devem ficar a atentos quando ouvirem queixas de dores abdominais, principalmente no período da manhã, perda de apetite e queimação. Caso as queixas sejam frequentes é recomendável procurar ajuda médica. O tratamento costuma ser a base de medicamentos.
“Além de tratar os sintomas, é importante identificar o que provocou a doença. Isso ajudará a evitar que novos casos de gastrite e esofagite ocorram”, explica o especialista.

#HospitalSaoLuiz #SaoLuizAnaliaFranco #gastrite #esofagite

O que é uma úlcera?

» -------------------------------------------------------------------------------------------------------------

postado em 19 de agosto de 2014

A úlcera é uma ferida que pode ocorrer em várias partes do organismo. Porém, quando se fala nela, normalmente, as pessoas pensam na úlcera gástrica – também conhecida como úlcera péptica, que costuma ocorrer no estômago, no duodeno ou no esôfago.

Para digerir os alimentos, o estômago produz uma série de ácidos. Em situações normais, eles atuam apenas sobre os alimentos, mas em alguns casos, agem sobre o trato digestivo, ferindo a parede estomacal e do duodeno.

Dr. Alexandre Sakano, gastroenterologista do Hospital São Luiz Itaim, afirma que “existem pessoas que são mais suscetíveis às doenças do estômago e podem ter uma gastrite que evolui para úlcera se não tratada adequadamente. Entretanto, a maioria das pessoas que tem gastrite permanece com gastrites crônicas que vão e voltam, mas não evoluem nunca. Por outro lado, existem pessoas que nunca tiveram gastrite e sofrem com úlcera no estômago.”

A endoscopia é a melhor maneira de diagnosticar a úlcera. O exame é realizado com o paciente sedado e permite que o médico veja com detalhes a mucosa do estômago, realize biópsias quando necessário e diagnostique com precisão a doença e o grau de comprometimento.

#HospitalSaoLuiz #SaoLuizItaim #ulcera

118266_7462 - abdomen

A gastrite, suas causas e sintomas

» -------------------------------------------------------------------------------------------------------------

postado em 6 de agosto de 2014

A gastrite é a inflamação da mucosa do estômago, que causa alterações como vermelhidão, inchaço ou erosões.

Dr. Alexandre Sakano, gastroenterologista do Hospital São Luiz Itaim, explica que o estômago produz um ácido chamado suco gástrico que digere os alimentos. Sua produção em excesso é a causa mais comum da gastrite.

“Quando nos alimentamos, o suco gástrico é liberado, se mistura com o alimento e vai para o intestino. Se ficamos muito tempo sem comer nada, o estômago “avisa” que está na hora de comer e libera suco gástrico. É ele que dá a sensação de fome, de vazio no estômago, e se não houver nada para digerir, fica em contato direto com a mucosa provocando a inflamação”, afirma.

O especialista esclarece que alimentos como o álcool, o café, produtos muito ácidos, apimentados ou condimentados podem piorar ou provocar a gastrite. Alguns medicamentos como os anti-inflamatórios também pode provocá-la. Situações de stress também provocam um aumento na produção de ácido no estômago, o que origina a chamada “gastrite nervosa”.
“Outra causa da inflamação e da úlcera é presença de uma bactéria chamada Helicobacter pylori na mucosa do estômago. Ela destrói a camada de proteção e deixa o estômago mais suscetível a essas doenças”.

Os sintomas mais comuns da gastrite são dor de estômago, queimação que – piora com a alimentação – e sensação de estômago cheio mesmo com a ingestão de pequenas quantidades de comida. Em alguns casos, também ocorrem vômitos.

Para prevenir a doença, Dr. Alexandre recomenda alimentar-se a cada três ou quatro horas, evitar alimentos apimentados, ácidos, bebidas alcoólicas e café em excesso no cotidiano.

Quando o uso de medicamentos que podem causar a gastrite for necessário, o gastroenterologista orienta ter mais cuidado com a alimentação ou utilizar medicamentos para proteger o estômago, sempre com recomendação médica.

“O melhor exame para diagnóstico da gastrite e de todas as doenças do estômago é a endoscopia, que permite ver com detalhes toda a mucosa do estômago, realizar biópsias quando necessário e diagnosticar com precisão a doença e o grau de comprometimento”, conclui.

#HospitalSaoLuiz #SaoLuizItaim #gastrite #sucogastrico

Imagem1ok

No Dia do Endoscopista, entenda para que serve a endoscopia

» -------------------------------------------------------------------------------------------------------------

postado em 25 de julho de 2014

A endoscopia é um exame em que uma microcâmara é introduzida na boca do paciente. Este equipamento passa pelo esôfago, estômago e chega ao início do intestino, chamado duodeno.

O gastroenterologista do Hospital e Maternidade São Luiz Itaim, Dr. Alexandre Sakano, explica que esse exame permite ver com detalhes o esôfago, o estômago e o duodeno e possibilita diagnosticar todas as doenças presentes nesses órgãos, como refluxo gastroesofágico, gastrite, úlcera, tumores benignos, câncer, além de ajudar no diagnóstico da intolerância ao glúten.

O procedimento é recomendado para pessoas que apresentem sintomas como dor de estômago, queimação, sensação de estômago cheio logo após comer, mesmo pequenas quantidades, sinais de refluxo que podem ser queimação no peito, azia, tosse crônica ou pigarro.

O especialista afirma que sempre que há sintomas, é necessário investigá-los. “Porém, os pacientes portadores de doenças crônicas devem realizar a endoscopia rotineiramente para controle. Em casos mais graves, ela é utilizada também para avaliar a progressão da doença, como a esofagite de refluxo, por exemplo”, esclarece.

Prevenção do câncer

Dr. Alexandre ressalta que o câncer de estômago não costuma apresentar sintomas na fase inicial. Em outros casos, os sinais são semelhantes aos da gastrite. “Quando diagnosticado na fase inicial, chamado de câncer precoce, as chances de cura são próximas de 100%, enquanto na fase avançada as chances caem para 25%. Portanto, a prevenção é sempre fundamental.”

Pessoas com histórico familiar de câncer (pais, irmãos, avós) devem realizar a endoscopia rotineiramente após os 40 anos de idade. O exame deve ser repetido a cada três anos, caso o resultado anterior esteja normal.

Para aqueles indivíduos que não apresentam sintomas nem possuem familiares que já tiveram câncer, o exame é recomendado a partir dos 50 anos. A repetição a cada cinco anos deve ser feita de modo preventivo.

#HospitalSaoLuiz #SaoLuizItaim #endoscopia

Cólicas

Produzido por Connexion Net

(c) 2010 - Blog da Saúde - Todos os direitos reservados