Blog da Saúde

Cirurgia Bariátrica: veja quando recorrer a esse tratamento

» -------------------------------------------------------------------------------------------------------------

postado em 19 de agosto de 2015

Fat man isolated on white

As cirurgias bariátricas já acontecem há muitos anos no Brasil e no mundo, e muitos associam esse tipo de procedimento somente para tratar a obesidade mórbida. Porém, esse tratamento engloba também uma gama de doenças ligadas ao metabolismo humano, como diabetes tipo 2, pressão alta, gordura no fígado, acido úrico elevado e alterações do colesterol e dos triglicerídeos.

Alexandre Elias, cirurgião bariátrico do Centro de Excelência em Cirurgia Bariátrica e Metabólica do Hospital e Maternidade São Luiz, explica que a obesidade, antes de mais nada, é uma doença crônica e progressiva. “O primeiro passo é a pessoa entender e reconhecer que é portadora de uma doença e que precisa de ajuda de uma equipe multiprofissional composta por pessoas que estudam e entendem esse problema, possibilitando assim oferecer o melhor tratamento para cada tipo de necessidade”. Elias diz que essa doença precisa ser tratada com orientação médica séria e ética e, acima de tudo, de forma personalizada.

Índice de massa corporal
Um dos parâmetros mais comuns para calcular se uma pessoa está acima do peso, usado pelo Organização Mundial da Saúde (OMS), é o Índice de Massa Corporal (IMC). Esse índice é calculado dividindo-se o peso (em kg) pelo quadrado da altura (em metros) (clique aqui para calcular o seu IMC). O resultado revela se o peso está dentro da faixa ideal, abaixo ou acima do desejado – revelando sobrepeso ou obesidade.

Classificação do IMC
Menor que 18,5: Abaixo do peso
Entre 18,5 e 24,9: Peso normal
Entre 25 e 29,9: Sobrepeso (acima do peso desejado)
Igual ou acima de 30: Obesidade

Obesidade Mórbida
A obesidade mórbida é quando o indivíduo possui IMC acima de 40. Neste caso, o paciente passa a ser um candidato forte para realizar a cirurgia bariátrica e tem que procurar ajuda imediatamente. “A obesidade mórbida é um caso extremo no qual o indivíduo está com sério risco de complicações que podem ameaçar sua vida. A cirurgia pode ajudá-lo a sair de um quadro grave”.

Problemas de saúde associados à obesidade
Porém, não é somente em casos de obesidade mórbida que a cirurgia bariátrica é necessária. Existem casos nos quais a obesidade, mesmo com o IMC abaixo de 40, está acompanhada de outras doenças, tais como hipertensão e diabetes, e que o tratamento cirúrgico é recomendado. “Diabetes tipo 2, pressão alta, gordura no fígado, acido úrico elevado, apneia e alterações do colesterol e dos triglicerídeos são casos onde o sobrepeso aumenta o risco, por isso o tratamento cirúrgico pode ser indicado para aliviar esses sintomas”.

Centro de Excelência em Cirurgia Bariátrica e Metabólica do Hospital e Maternidade São Luiz
O Centro de Excelência em Cirurgia Bariátrica e Metabólica do Hospital e Maternidade São Luiz é um espaço especializado no tratamento das doenças relacionadas a obesidade e suas alterações metabólicas.

O Centro de Excelência trabalha com profissionais multidisciplinar, com cirurgiões, psicólogos, nutricionistas e endocrinólogos, especializados no acompanhamento pré e pós-operatório do paciente submetido à cirurgia bariátrica e metabólica.

Saiba mais: http://cirurgiabariatricaemetabolica.saoluiz.com.br/default.aspx

Conheça as cirurgias do Centro de Excelência em Cirurgia Bariátrica e Metabólica

» -------------------------------------------------------------------------------------------------------------

postado em 18 de novembro de 2014

O Centro de Excelência em Cirurgia Bariátrica e Metabólica do Hospital São Luiz oferece tratamento multidisciplinar a portadores doenças relacionadas à obesidade e suas consequentes alterações metabólicas.

Entre as terapêuticas oferecidas para o tratamento da obesidade, o Balão Intragástrico apresenta-se como uma alternativa não cirúrgica em que o indivíduo não necessita de anestesia, apenas de uma sedação. Neste procedimento, uma esfera oca de silicone (Balão) é inserida por endoscopia no interior do estômago do paciente. Quando insuflada com uma solução de soro fisiológico e azul de metileno, esta esfera ocupará cerca de 2/3 do espaço do estômago, causando a sensação de saciedade (estômago cheio). Após 7 meses, o Balão deve ser retirado também por endoscopia.

O cirurgião bariátrico do Hospital e Maternidade São Luiz Itaim, Luiz Vicente Berti, afirma que o “Balão Intragástrico é utilizado para o paciente obeso perder peso antes da cirurgia ou nos casos em que ele ainda não apresenta quadro de obesidade mórbida, mas em que falharam os procedimentos clínicos a que ele foi submetido, como dietas e ingestão de medicamentos”.

Dr. Luiz Vicente explica que a cirurgia bariátrica mais realizada no Brasil e em todo o mundo é o Bypass Gástrico, também conhecido como Gastroplastia. Este procedimento é realizado por videolaparoscopia e altera o funcionamento do estômago e o intestino. Nesta cirurgia, é construído um novo estômago muito menor do que o anterior. Em seguida, realiza-se um desvio intestinal em que o alimento “caminha” sem contato com os sucos digestivos por um segmento intestinal. Após este desvio, há novamente a união dos alimentos e dos sucos digestivos.

O médico esclarece que a Gastroplastia apresenta os melhores resultados em relação à perda de peso após a cirurgia: cerca de 35% de redução após 12 a 14 meses, que é o prazo considerado para que o peso do paciente estabilize. O By Pass Gástrico é mais indicado para o controle do diabetes e das doenças metabólicas.

Outro procedimento também realizado no Centro de Excelência em Cirurgia Bariátrica e Metabólica do Hospital e Maternidade São Luiz Itaim é a Gastrectomia Vertical. Ela também é realizada por videolaparoscopia mas, neste caso, utilizam-se grampeadores que cortam e suturam para retirar uma área do estômago. Com a redução do tamanho do órgão, o paciente passa a ingerir uma quantidade menor de alimentos. Dr. Luiz Vicente explica que a Gastrectomia Vertical tem um poder de perda de peso menor do que a Gastroplastia e não é indicada para pacientes metabolicamente doentes.

“O mais importante, porém, é o paciente entender que a cirurgia representa de 30% a 40% do tratamento. A outra parte consiste em seguir corretamente as orientações dos diversos profissionais que estão a sua disposição no pós-operatório. Entre eles, o psicólogo, o nutricionista, o cirurgião, o endocrinologista, etc. O paciente precisa de reeducação alimentar, precisa da ajuda de especialistas que o auxiliem a mudar seus hábitos, sejam eles relacionados a exercícios físicos ou a atitudes comportamentais e de personalidade. E isto leva bastante tempo. Por isto, a importância de um acompanhamento multidisciplinar de longo prazo, conclui Dr. Luiz Vicente Berti.”

logo centro de excelencia bariatrica

Lançamento do livro: “O obeso e a cirurgia bariátrica – uma combinação que pode dar certo”

» -------------------------------------------------------------------------------------------------------------

postado em 16 de setembro de 2014

Na próxima quinta-feira, dia 18, Dr. Marcos Giansante lançará seu livro “O obeso e a cirurgia bariátrica – uma combinação que pode dar certo”. Na obra, o cirurgião aborda a obesidade, o perfil emocional do obeso, a importância do procedimento cirúrgico e como é a vida do doente operado. Com uma linguagem acessível, o autor explica como é feita a cirurgia bariátrica, por exemplo.

“O objetivo do livro é tratar de uma doença difícil, uma doença que tem uma prevalência muito grande, que tem um grau de agressividade muito grande e falar sobre o tratamento cirúrgico desta doença. A cirurgia, por si só, é um tema que envolve uma complexidade muito grande”, explica Dr. Marcos Giansante.

O evento acontece a partir das 19h no Hospital e Maternidade São Luiz Anália Franco. É necessária a confirmação de presença.

Data: 18 de setembro, quinta-feira
Horário: a partir das 19h
Local: Hospital e Maternidade São Luiz Anália Franco – Térreo – Praça de Eventos
Endereço: Rua Francisco Marengo, 1312 – Tatuapé – São Paulo – SP
Confirmação de presença: (11) 3386-1584 ou raquel.duarte@saoluiz.com.br , com o assunto: “RSVP Lançamento do livro”

#HospitalSaoLuiz #SaoLuizAnaliaFranco

949285_40326566 -  obeso

Hospital São Luiz inaugura Centro de Excelência em Cirurgia Bariátrica e Metabólica multidisciplinar

» -------------------------------------------------------------------------------------------------------------

postado em 14 de agosto de 2014

Inaugura_CEBariatric_menor

O Hospital e Maternidade São Luiz Itaim inaugurou ontem à noite o Centro de Excelência em Cirurgia Bariátrica e Metabólica.

O tratamento da obesidade é complexo e envolve uma série de questões, que extrapolam apenas o aspecto médico. Por este motivo, o espaço será o único da capital paulista a trabalhar com estrutura multidisciplinar, envolvendo desde psicólogos, cirurgiões, nutricionistas até preparadores físicos.

Para que o tratamento seja bem sucedido, é necessário que haja um acompanhamento pré e pós-operatório da cirurgia bariátrica e metabólica. O Centro funcionará como uma clínica, já que o paciente encontra no mesmo local todos os profissionais necessários neste processo. “O tratamento da obesidade extrema exige uma grande mudança de hábitos alimentares, de estilo de vida e adaptação à transformação física. Por isso nasceu a ideia de criar um Centro de Excelência que oferece acompanhamento médico completo”, diz Luiz Vicente Berti, cirurgião bariátrico do Hospital e Maternidade São Luiz Itaim.

Para garantir o conforto e bem-estar do paciente, o Centro também conta com uma infraestrutura específica. Além de um centro cirúrgico altamente tecnológico, a unidade Itaim oferece um andar exclusivo para o tratamento de obesos. São 13 apartamentos privativos com mobiliário customizado para atender as necessidades de cada paciente.

“O Centro de Excelência oferece diferentes tipos de procedimentos e cirurgias para combater a obesidade. Os tratamentos mais indicados são os minimamente invasivos, pois proporcionam menos riscos de complicação, menos dor e menor tempo de recuperação. Mas é importante reforçar que a escolha do tratamento é feita individualmente pelo médico e paciente, a partir das particularidades de cada caso”, explica Luiz Vicente Berti.

O espaço é certificado pela organização internacional Surgical Review Corporation (SRC), responsável pelos melhores locais de tratamento da obesidade mórbida no mundo.

Dr. José Jair de Arruda Pinto, diretor da unidade, recebeu os convidados, apresentou a equipe e agradeceu a presença de todos.

Mais informações:

Obesidade extrema: a obesidade é uma doença crônica caracterizada pelo excesso de gordura no organismo. A obesidade é considerada extrema quando um indivíduo atinge um índice de massa corpórea (IMC) igual ou superior a 35 kg/m². O percentual de brasileiros com obesidade mórbida e sobrepeso continua preocupante.

Atualmente, o excesso de peso atinge 95 milhões de pessoas no país e 1,9 bilhão no mundo, segundo dados da Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica (SBCBM). As projeções da Organização Mundial da Saúde (OMS) também merecem atenção. Estudo global da OMS estima que até 2015 existam 2,3 bilhões de pessoas com sobrepeso e 700 milhões de obesos.

Doenças associadas: a obesidade pode estar associada a um grande número de doenças metabólicas, como hipertensão, apneia do sono, colesterol alto, problemas articulares e diabetes e entre outras.

Tratamentos: os tratamentos para redução do peso incluem supervisão nutricional, programas de modificação comportamentais psiquiátricos, dietas, medicamentos para redução do apetite, uso do balão intragástrico e cirurgia bariátrica e metabólica.

#HospitalSaoLuiz #SaoLuizItaim #CentrodeExcelencia #CirurgiaBariatrica

O que o candidato à cirurgia bariátrica precisa saber

» -------------------------------------------------------------------------------------------------------------

postado em 29 de maio de 2014

Dúvidas sobre os efeitos da cirurgia bariátrica persistem no imaginário de pacientes que querem, e precisam, se livrar da obesidade. São mitos sobre benefícios exagerados e possíveis consequências desfavoráveis que, devido à falta de orientação médica, podem causar insegurança na decisão de emagrecer por meio de intervenção cirúrgica.

Para esclarecer o assunto, confira três informações que o paciente precisa ter antes de optar pela cirurgia bariátrica como tratamento ideal para fazer as pazes com a balança.

1. Diagnosticar a obesidade com orientação médica:

Segundo o especialista em cirurgia bariátrica do Hospital São Luiz Anália Franco, Dr. Marcos Henrique Giansante, “a obesidade é uma doença crônica, multifatorial e progressiva, que precisa ser controlada e não deve ser tratada como falha de comportamento. O portador dessa doença tem de ser curado. Não tem de sofrer preconceito. E apenas com auxílio médico ele pode descobrir se é portador de obesidade”. Caso o quadro seja confirmado, o paciente precisa assumir que está doente e que o tratamento é necessário. Esse é o primeiro passo para tratar a obesidade.

2. Exercer sua autonomia:

O paciente diagnosticado com obesidade deve escolher como irá emagrecer. Uma opção é o tratamento clínico, com nutricionista e endocrinologista, focado geralmente na motivação e na mudança de comportamento.

Outra opção igualmente importante é a cirurgia bariátrica. “A proposta da cirurgia é que seja uma ferramenta eficiente para o controle desta doença, antecipando a sensação de saciedade após as refeições. O paciente que escolhe passar por essa cirurgia melhorará seu grau de nutrição, se seguir corretamente as orientações médicas. O paciente não precisa ter sofrido sequelas graves ou distúrbios metabólicos, como o diabetes e a hipertensão, para optar pela operação. O ideal é que ele não chegue neste ponto”, diz Dr. Giansante.

Segundo o médico, o Índice de Massa Corporal (IMC) do paciente não é o único indicador a ser considerado na recomendação de uma cirurgia bariátrica. “Com os avanços tecnológicos a favor da cirurgia bariátrica, os critérios antigos estão sendo reavaliados. A indicação deve ser feita caso a caso, considerando também fatores metabólicos e genéticos, por exemplo”, diz Dr. Giansante.

É importante que o paciente conheça todas as opções de tratamento e indicações médicas. Assim, com segurança e motivação, ele poderá escolher como será tratado.

3. Conhecer o hospital e a equipe médica (em caso de cirurgia):

É recomendado que o paciente que opte pela cirurgia bariátrica conheça o hospital e os médicos que irão operá-lo. “A equipe médica deve ser certificada para realizar este tipo de procedimento. É importante também que os médicos e o hospital tenham vocação para a cirurgia bariátrica”, diz Dr. Giansante.

Uma dica para o candidato à cirurgia é checar se o hospital tem perfil tecnológico e infraestrutura para oferecer acompanhamento pós-operatório adequado.

 

949285_40326566 -  obeso

Produzido por Connexion Net

(c) 2010 - Blog da Saúde - Todos os direitos reservados