Blog da Saúde

Dermatologista do São Luiz dá dicas para evitar doenças de pele no verão

» -------------------------------------------------------------------------------------------------------------

postado em 2 de Janeiro de 2018

Estação mais quente do ano favorece aparecimento de brotoejas, micoses e queimaduras solares

A estação mais quente do ano já começou, e com ela vem viagens para a praia ou campo. Tudo pronto para uma das combinações existentes mais perigosas para a pele: exposição excessiva ao sol e umidade.

Não somente as queimaduras solares tornam o verão uma estação perigosa para a pele, mas também as micoses e brotoejas. A incidência dessas doenças na pele é favorecida por calor, umidade e baixa de imunidade.

As micoses são infecções causadas por fungos e que podem ocorrer na pele, unhas e cabelos. Já as brotoejas, que são pequenas bolinhas que surgem, especialmente em bebês, devido ao contato da pele com o suor.

A melhor forma de evitá-las é manter hábitos de higiene secando-se corretamente após o banho, principalmente em locais mais fechados, como virilha, entre os dedos dos pés e axilas. Como complemento a isso, fazer uso de roupas leves e soltas e evitar locais muito abafados que propiciam a sudorese excessiva.

Agora, para os momentos de exposição solar, os principais cuidados com a pele no verão serão hidratação e uso de fotoproteção.

O uso do protetor solar deve ser feito por todos, sempre reaplicando o protetor antes e depois de entrar na água do mar ou piscina, ou a cada duas ou três horas.

A prevenção das doenças de pele por queimaduras solares, principalmente o câncer, se dão pelo uso do filtro solar e exposição ao sol entre às 10h e 16h, além da adoção de medidas complementares de proteção, como chapéus, bonés, viseiras e óculos de sol.

A Dra. Rosanna Nocito, dermatologista do Hospital e Maternidade São Luiz Itaim e Hospital São Luiz Morumbi orienta que o uso da fotoproteção é importantíssimo e deve ser feito por todas as pessoas. “Precisamos, também, entender que não existe fotoprotetor resistente à agua, e por isso é imprescindível que façamos a reaplicação na pele e na face sempre a cada duas ou três horas”, diz.

– Para peles mais oleosas, deve-se optar por fotoprotetor com veículos mais leves, como gel ou sérum;

– Para peles mais maduras, fazer uso de veículos mais hidratantes como cremes ou loções;

– Para os pequenos, uso de fotoprotetor especifico com rótulo kids.

A Dra. Rosanna lembra ainda, que a hidratação deve ser feita sempre de forma interna e externa, com ingestão de dois a três litros de água e fazendo uso de hidratante indicado pelo dermatologista.

Be Sociable, Share!

Deixe seu comentário
You must be logged in to post a comment.
Produzido por Connexion Net

(c) 2010 - Blog da Saúde - Todos os direitos reservados