Blog da Saúde

Especialista do Hospital e Maternidade São Luiz Anália Franco alerta para importância da saúde digestiva

» -------------------------------------------------------------------------------------------------------------

postado em 29 de Maio de 2018

Número de refeições ao dia, horários de alimentação e escolha do alimento são tripé da saúde digestiva

Hoje, 29 de maio, celebra-se o Dia Mundial da Saúde Digestiva, data criada para aumentar a conscientização da população em torno da alimentação saudável, mas também elevar diagnósticos e tratamentos das doenças que envolvem o assunto.

O Dr. Ricardo Machado de Minas, gastroenterologista do Hospital e Maternidade São Luiz Anália Franco considera o tema bastante atual, pois nos dias de hoje a população têm trocado a alimentação saudável em horários adequados, por fast-foods, comidas industrializadas e falta de atenção no momento da alimentação. “Com a correria do dia-a-dia, a gente perde a noção da importância de se alimentar bem e acaba deixando de lado alguns pontos muito importantes para a saúde digestiva”, orienta.

Machado explica que para começarmos a nos conscientizar e termos uma alimentação saudável os primeiros passos devem ser as três refeições diárias: café da manhã, almoço e jantar, o que já pode ser considerado um grande passo para afastar as doenças do aparelho digestivo, a gordura no fígado e a obesidade.

É importante que as pessoas escolham alimentos mais naturais, que as escolhas passem por restaurantes por quilo, onde normalmente é mais fácil de encontrar saladas, legumes e verduras cozidas, grelhados. Além disso, nesses locais também é possível evitar comidas pesadas, gordurosas e alimentos industrializados.

Outras ações fundamentais para a manutenção da saúde digestiva são: não fumar, beber socialmente e evitar o uso indiscriminado de anti-inflamatórios. No geral, as três escolhas favorecem o surgimento de doenças ou potencializam as já existentes. O fumo pode trazer ainda outras complicações, como o surgimento do câncer, que pode ser de boca, laringe, estômago, entre outros.

O abuso do álcool agride diretamente a mucosa do estomago e intestino, além de atacar diretamente o fígado, podendo levar alguns casos a quadros de cirrose. Já o uso indiscriminado de medicamentos anti-inflamatórios aumentaram consideravelmente as hemorragias intestinais. “Com acesso simples, a população deixa de fazer uso de certos medicamentos em casos exclusivos de doença, o que acaba provocando efeitos colaterais e até surgimento de outros quadros” orienta.

“As rotinas de trabalho excessivas tem feito com que as pessoas se alimentem de maneira acelerada, em frente à televisão ou até fazendo uso de celular. Essas ações diminuem o estímulo cerebral para a alimentação e dificultam o entendimento do organismo, podendo levar a uma série de problemas no futuro”, explica.

Os sintomas que alarmam e indicam a procura por um especialista são sangramento nas fezes e no vômito, emagrecimento acelerado devido à falta de apetite, dores locais ou alterações nos hábitos funcionais do intestino (diarreia ou constipação, excesso ou falta de fezes, respectivamente), queimação que se tornou intensa e a presença de catarro nas fezes, que indica uma inflamação do intestino, que requer cuidados especiais.

No entanto, para que se evitem o surgimento dos sintomas, é necessário seguir a alimentação regrada, rotina de atividades físicas e a participação em consultas de rotina anualmente, para as pessoas que não possuem histórico de doenças. Os pacientes que possuem alguma doença devem seguir as recomendações médicas.

Be Sociable, Share!

Deixe seu comentário
You must be logged in to post a comment.
Produzido por Connexion Net

(c) 2010 - Blog da Saúde - Todos os direitos reservados